Lideres da CIRGL reunidos à porta fechada

Bandeiras dos Países participantes na reunião de Chefes de Estado dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)
Bandeiras dos Países participantes na reunião de Chefes de Estado dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)
Bandeiras dos Países participantes na reunião de Chefes de Estado dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)

Depois do discurso de boas-vindas feito pelo presidente angolano e em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), José Eduardo dos Santos, os líderes deste órgão encontram-se neste momento reunidos à porta fechada para adopção da agenda de trabalho do encontro que analisa a situação de segurança e humanitária na região.

Após esse passo os participantes farão a apresentação das recomendações da reunião do Comité Interministerial da CIRGL, que antecedeu essa Cimeira de cúpula, e de seguida caberá ao presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila apresentar o ponto de situação de segurança no seu país e sobre o processo de desarmamento das Forças Democráticas de Libertação do Ruanda (FDLR).

Seguir-se-á também uma informação do líder do Sudão do Sul, Salva Kiir, sobre a situação de segurança no seu território e de igual modo, a presidente interina da República Centro -Africana, Catherine Samba Panza, e do representante do presidente do Burundi sobre o ponto de situação de segurança nos seus respectivos países.

Ainda na mesma senda, o chefe de Estado do Quénia, Uhuru Kenyata, também vai prestar uma informação sobre a ameaça do terrorismo na região dos Grandes Lagos.

No final do encontro que termina no princípio da tarde de hoje, será feita a leitura do comunicado final do encontro, ao que se seguirá a oferta de um almoço oficial por parte do estadista angolano, José Eduardo dos Santos, aos seus homólogos e respectivas delegações.

A Cimeira de cúpula dos líderes da CIRGL foi antecedida de três encontros que decorreram em Luanda, a destacar dos chefes de Estados Maiores Generais das Forças Armadas e dos chefes dos Serviços de Informação (conjunta), dos ministros da Defesa e das Relações Exteriores (em separado) deste órgão regional.

A CIRGL foi criada após os conflitos políticos que marcaram a região dos Grandes Lagos, em 1994, cujo resultado marcou o reconhecimento da sua dimensão e a necessidade de um esforço concentrado com vista a promoção da paz e do desenvolvimento na região.

Dela fazem parte Angola, Burundi, República Centro -Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Quénia, Uganda, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA