Israel: Netanyahu obtém confiança do Parlamento

(Foto de JIM HOLLANDER/POOL/AFP)
(Foto de JIM HOLLANDER/POOL/AFP)
(Foto de JIM HOLLANDER/POOL/AFP)

Por uma estreita margem, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu obteve a confiança do Parlamento, nesta quinta-feira à noite, para seu quarto governo – um dos mais conservadores da História de Israel.

A composição do governo foi aprovada no Knesset (Parlamento) por 61 votos a 59, anunciou o presidente da Casa, Yuli Edelstein.

“Aqui estão os resultados: a favor, 61 votos; contra, 59. Declaro que o governo obteve a confiança do Knesset. Felicitações”, declarou Edelstein, após uma cerimónia tensa que começou com a expulsão de três deputados árabe-israelitas.

O trio criticou o primeiro ministro verbalmente, enquanto outros deputados da oposição riam, ao ouvir o discurso de Netanyahu na abertura da sessão. Nele, o primeiro-ministro afirmava que “preservaremos nossa segurança e faremos todo o possível a favor da paz”.

Com o centro de gravidade ainda mais à direita do que na gestão anterior, o novo governo conta com apenas 61 votos do total de 120. Esse arranjo deixa o primeiro ministro Netanyahu à mercê de qualquer deserção.

As negociações para formar uma coalizão foram tão duras que Netanyahu teve de ceder mais ministérios do que o previsto aos aliados de seu partido, o Likud. As conversas se seguiram até o último minuto antes da votação nesta quinta.

Nesse contexto, o primeiro ministro conseguiu que o Parlamento adoptasse uma lei que lhe permite nomear mais ministros do que antes.

O presidente americano, Barack Obama, reagiu pouco depois do anúncio do primeiro ministro Netanyahu sobre a formação de uma nova coalizão de direita. Segundo Obama, os Estados Unidos mantêm sua posição de que a solução de dois Estados é a melhor para a segurança de Israel em longo prazo.

“Continuo acreditando que uma solução de dois Estados é absolutamente vital, não apenas para a paz entre israelitas e palestinos, mas para a segurança em longo prazo de Israel como um Estado democrático e judeu”, declarou Obama em uma entrevista colectiva em Camp David.

Confira abaixo a íntegra do gabinete do 34º governo israelita, aprovado hoje:

– primeiro-ministro: Benjamin Netanyahu* (Likud, direita)

* também encarregado das Relações Exteriores, da Comunicação, da Saúde e do Desenvolvimento Regional

– Defesa: Moshe Yaalon (Likud)

– Finanças: Moshe Kahlon (Kulanu, centro-direita)

– Interior: Sylvan Shalom (Likud)

– Educação: Naftali Bennett (Lar Judaico, nacionalista e religioso)

– Justiça: Ayelet Shaked (Lar Judaico)

– Agricultura: Uri Ariel (Lar Judaico)

– Turismo: Yariv Levin* (Likud)

* também encarregado da Segurança Interna

– Economia e Comércio: Arye Deri (Shass, ultraortodoxo)

– Construção: Yoav Galant (Kulanu)

– Transportes: Israël Katz (Likud)

– Energia: Youval Steinitz* (Likud)

* também encarregado da Comissão Atômica israelense e da questão nuclear iraniana

– Meio Ambiente: Avi Gabai (Kulanu)

– Ciência e Tecnologia: Danny Danon (Likud)

– Imigração: Zeev Elkin (Likud)

– Cultura e Esportes: Miri Regev (Likud)

– Assuntos Sociais: Haim Katz (Likud)

– Previdência: Gila Gamliel (Likud)

– Assuntos Religiosos: David Azulay (Shass)

– Ministros sem pastas:

Ofir Akunis (Likud), Benny Begin (Likud)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA