Instituto Metropolitano de Angola expulsa estudante por organizar manifestação

Despacho do Director-Geral do Instituto Metropolitano de Luanda (VOA)
Despacho do Director-Geral do Instituto Metropolitano de Luanda (VOA)
Despacho do Director-Geral do Instituto Metropolitano de Luanda (VOA)

Pelo quarto dia consecutivo, estudantes do Instituto Metropolitano de Angola continuam a exigir a reintegração do estudante António Manuel Afonso, expulso no dia 18 de Maio, por participar na organização de uma manifestação contra a decisão de aumentar os preços das propinas e emolumentos. O advogado do estudante já interpôs um recurso.

Os estudantes exigem agora um pronunciamento público por parte do Ministério do Ensino Superior em relação à polémica instalada entre os estudantes e a direcção do Instituto Metropolitano de Angola(Imetro) que decidiu expulsar um aluno por ter participado na organização de uma manifestação contra o aumento dos valores das propinas e de outros emolumentos durante o mês de Abril.

A decisão contraria um despacho do Ministério do Ensino Superior que proibiu qualquer aumento devido à crise económica actual.

O estudante do 2º. Ano expulso no passado dia 18, António Manuel Afonso, mais conhecido por “Casa maior” diz que até ao momento não houve qualquer pronunciamento das instituições do Governo.

“Não houve nenhuma nota do Ministério e não se sabe qual é a posição do ministério”, disse.

Entretanto, o advogado de Afonso já meteu um recurso junto do instituto e aguarda uma resposta.

De recordar que, até agora, apenas o Bloco Democrático pronunciou se sobre o assunto, condenando a decisão do instituto.

A VOA tentou o contacto com a direcção do Instituto Metropolitano de Angola, mas sem sucesso. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA