Indonésia resgata barco com quase 500 imigrantes ilegais

A Indonésia é um dos países de destino para muitos imigrantes clandestinos de Mianmar e de Bangaldesh. (Foto: Reuters)
A Indonésia é um dos países de destino para muitos imigrantes clandestinos de Mianmar e de Bangaldesh. (Foto: Reuters)
A Indonésia é um dos países de destino para muitos imigrantes clandestinos de Mianmar e de Bangaldesh.
(Foto: Reuters)

Cerca de 500 imigrantes vindos de Mianmar e do Bangladesh chegaram neste domingo (10) de barco ao largo da província de Aceh, no nordeste da Indonésia. Eles foram resgatados pelas autoridades locais, que foram alertadas por pescadores da região.

Um dos responsáveis pelas equipes de socorro explicou que pescadores avistaram um barco em dificuldades no mar ao norte de Aceh. Equipes foram levadas ao local e conseguiram socorrer 469 imigrantes, entre eles Rohingyas de Mianmar e bengaleses. Entre eles, há mulheres e crianças. Todos os imigrantes foram levados a locais seguros, de acordo com as informações repassadas à agência AFP.

Os Rohingyas de Mianmar são uma minoria muçulmana apátrida, considerada pela ONU como uma das mais perseguidas em todo o mundo. O responsável local pelas equipes de emergência informou que os imigrantes seriam encaminhados a um centro de retenção no norte de Aceh. A polícia e os serviços de imigração vão estudar cada caso e esclarecer a motivação deles para arriscarem suas vidas no mar.

Ordem para nadar até terra firme

Um outro integrante das equipes de resgate declarou que o barco chegou próximo a uma praia e os passageiros receberam ordens para chegar à nado em terra firme. Segundo essa fonte, o agente responsável pelo transporte disse que eles tinham chegado à Malásia. Alguns que nadaram até a costa perceberam depois que, na verdade, tinham chegado à Indonésia.

Na embarcação, havia 83 mulheres e 41 crianças, e algumas delas passaram mal e precisaram de atendimento médico.

Todos os anos, milhares de migrantes clandestinos tentam atravessar a zona fronteiriça entre Mianmar e Bangladesh para fugir da pobreza ou da perseguição religiosa nesses países. Eles transitam pelo sul da Tailândia e tentam chegar à Malásia ou à Indonésia.

Minoria perseguida

Cerca de 800 mil Rohingyas vivem confinados no estado de Rakine, no oeste de Mianmar, sendo que 140 mil deles vivem em instalações provisórias e em condições deploráveis. Eles foram privados de nacionalidade pela ex-junta que governou o país e sofrem restrições para viajar, encontrar trabalho, ter acesso à saúde e até casar.

Segundo um relatório do Alto Comissariado da ONU para os refugiados (HCR), cerca de 25 mil Rohingays e bengaleses se lançaram ao mar entre Janeiro e Março deste ano para tentarem uma vida melhor em outros países. O número dobrou em relação ao mesmo período do ano passado. (rfi.fr)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA