Huíla: Procurador das FAA confirma redução de crimes nos efectivos militares

Vice Procurador da República - Helder Pitra Grós (Foto: Alberto Julião)
Vice Procurador da República - Helder Pitra Grós (Foto: Alberto Julião)
Vice Procurador da República – Helder Pitra Grós (Foto: Alberto Julião)

O Procurador militar das Forças Armadas Angolanas (FAA), general Hélder Fernando Pita Grós, afirmou hoje (sexta-feira), na cidade do Lubango, Huíla, haver uma redução significativa de crimes praticados no seio dos efectivos dos comandos militares existentes no país, fruto de um trabalho de sensibilização que tem sido realizado pelos órgãos judiciais afins.

Em declarações à imprensa, no âmbito da sua visita de ajuda de controlo a Região Militar Sul, o também Vice-Procurador geral da República manifestou-se satisfeito com o nível de disciplina e baixo índice de criminalidade no seio dos efectivos a nível das unidades militares existentes no país.

“Tivemos algumas informações aqui recolhidas, que nos mostram que não é preocupante a situação da criminalidade a nível da Região Sul, mas contudo, vamos continuar a trabalhar no sentido de combater os crimes praticados pelos efectivos”, sublinhou o magistrado.

Hélder Pita Grós afirmou que as Forças Armadas Angolanas (FAA), têm feito um trabalho forte de sensibilização, no que se refere aos crimes de fuga à paternidade e prestação de assistência alimentar, para que esta prática não se expande no seio dos efectivos à todos os níveis.

Segundo o magistrado, as FAA têm trabalhado em parceria com os tribunais de fórum comum, para que em conjunto se possa eliminar esta prática.

O general esclareceu que, a procuradoria militar tem agido de forma a identificar o militar que pratica crime de fuga à paternidade e de não prestação de assistência alimentar e depois passar por um processo de entendimento, pautando por uma regra de disciplina e de compreensão.

Durante a sua permanência na cidade do Lubango, o procurador visitou, quinta-feira, o comando aéreo sul e o da quinta região região militar. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA