Huíla: Construção de matadouro na região reduzirá importação de carne

Huíla: Álvaro Fernandes - Secretário geral da cooperativa dos criadores de gado de Angola (Foto: José Krithinas)
 Huíla: Álvaro Fernandes - Secretário geral da cooperativa dos criadores de gado de Angola (Foto: José Krithinas)

Huíla: Álvaro Fernandes – Secretário geral da cooperativa dos criadores de gado de Angola (Foto: José Krithinas)

O director-geral da Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), Álvaro Fernandes, mostrou-se hoje expectante quanto a construção, em breve, de um matadouro industrial na região na perspectiva da redução da importação de carne.

Em entrevista à Angop, a propósito do projecto, Álvaro Fernandes disse que a sua construção foi aprovada recentemente, pelo Conselho de Ministros e tão logo as estruturas competentes dêem o aval será seleccionada a província da região sul onde será instalado..

A fonte realçou que a unidade industrial terá todos os requisitos exigidos internacionalmente, que passam pelas áreas de abate, desmanche, acondicionamento, transporte, frio e talhos para poderem comercializar o produto que terá uma qualidade satisfatória.

Disse que o referido matadouro será fiscalizado pela Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola, na perspectiva de produzir carne de qualidade e quantidade.

Sobre o plano sanitário dos animais, Álvaro Fernandes explicou que foi já traçado um programa que vai abranger as 64 fazendas que fazem parte da Cooperativa, no sentido de que haja melhor produção de carne em relação aos períodos anteriores.

A província da Huíla conta com um matadouro, que funciona a “meio gás”, assim como casas de abate informais.

A Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA) controla 64 membros das províncias da Huíla, Namibe, Cunene, Benguela, Huambo e Cuanza Sul, com um efectivo ganadeiro estimado em mais de 25 mil cabeças de gado bovino de raça e melhorada. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA