Huambo: Membros da sociedade civil analisam situação da actividade de moto- táxi

Membros da sociedade civil do Huambo analisam situação da actividade de moto- táxi (ANGOP)
Membros da sociedade civil do Huambo analisam situação da actividade de moto- táxi (ANGOP)
Membros da sociedade civil do Huambo analisam situação da actividade de moto- táxi (ANGOP)

Os membros da sociedade civil da província do Huambo analisaram, quarta-feira, a situação actual da actividade de moto-táxi, em função da sua incidência na elevação do índice de sinistralidade rodoviária, num encontro promovido pelo Comando Provincial da Polícia Nacional.

No encontro, orientado pelo comandante da Polícia Nacional no Huambo, comissário Elias Dumbo Livulu, os participantes, entre entidades policiais, políticas, religiosas, autoridades tradicionais, docentes e estudantes, debruçaram-se sobre os benefícios, consequências, propostas e soluções para melhorar regular a referida actividade.

No final, os presentes recomendaram que seja elaborada uma legislação para reger esta tarefa, no sentido de se diminuir os acidentes, pois consideram uma actividade de muito risco, que tem ceifado enumeras vidas humanas.

Os participantes consideraram que a lei deverá determinar quem está em condições para desempenhar a actividade, quando e onde e quais as responsabilidade caso os mesmos violem as normas impostas para o efeito.

Fundamentaram ainda que essa medida poderá desencorajar o exercício anárquico da profissão, porque os acidentes de viação têm sido causados, maioritariamente, pelo desrespeito e a falta de conhecimento das regras do ordenamento do trânsito por parte de muitos motociclistas, que conduzem sem habilitações para o efeito.

Concluíram ainda que o êxodo rural, entre outros factores, está na base do crescimento da actividade, devendo ser criadas políticas atractivas nas zonas rurais, para fazer com que as pessoas permaneçam nas suas localidade, ao invés de se deslocarem para as cidades.

Propuseram ainda que todos motociclistas a exercerem a actividade de taxistas sejam filiados na Associação de Moto-Taxista de Angola (Amotrang), para que sejam devidamente identificados.

À Administração Municipal do Huambo recomendaram no sentido de reabilitar as estradas secundárias e terciárias, os sinais luminosos, verticais e horizontais com vista a melhoria do tráfego, assim como a sinalização nas vias públicas para delimitar a circulação dos motociclos.

A província do Huambo, conta com 37 mil motos-taxistas, dos quais 14 mil se encontram no município sede, dos quais apenas oito mil associados à Amotrang e perto de sete mil estão habilitados para o efeito. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA