França: Marine Le Pen seria vencedora no primeiro turno da presidencial, diz pesquisa

Pesquisa de opinião do jornal Le Parisien indica que Marine Le Pen seria vitoriosa no primeiro turno das eleições presidenciais de 2017. (REUTERS/Philippe Wojazer)
Pesquisa de opinião do jornal Le Parisien indica que Marine Le Pen seria vitoriosa no primeiro turno das eleições presidenciais de 2017. (REUTERS/Philippe Wojazer)
Pesquisa de opinião do jornal Le Parisien indica que Marine Le Pen seria vitoriosa no primeiro turno das eleições presidenciais de 2017.
(REUTERS/Philippe Wojazer)

Uma pesquisa de opinião publicada na manhã desta terça-feira (5) indica que Marine Le Pen seria vitoriosa no primeiro turno das eleições presidenciais de 2017 com 29% dos votos. Em segundo lugar, viria o ex-presidente Nicolas Sarkozy, com 28% e, em terceiro, o actual chefe de Estado, François Hollande, com apenas 18%. A pesquisa foi publicada em meio à grande crise que afecta a Frente Nacional. Jean-Marie Le Pen, fundador do partido, foi suspenso temporariamente das funções de presidente de honra.

Marine Le Pen seria a grande vencedora do primeiro turno se as eleições fossem realizadas hoje. Já o Partido Socialista não chegaria nem mesmo ao segundo turno. “Nas hipóteses que testamos, a esquerda seria eliminada no primeiro turno”, afirma Gaël Sliman, do instituto Odoxa.

Segundo a pesquisa, no cenário “mais provável” para o segundo turno, Nicolas Sarkozy ficaria com 59% dos votos contra 41% para Le Pen. Se o candidato da esquerda no segundo turno fosse o actual primeiro ministro, Manuel Valls, ele também bateria a líder na extrema-direita por 55% a 45%. Já se o adversário no segundo turno fosse Hollande, Marine Le Pen seria eleita presidente, aponta a pesquisa publicada pelo jornal Le Parisien hoje.

Pai de Marine Le Pen rejeita candidatura da filha

Jean Marie Le Pen, fundador da Frente Nacional, é contra a ascensão de sua filha Marine à presidência francesa em 2017. “Isso seria escandaloso”, afirmou nesta terça-feira o líder histórico do partido em entrevista a uma rádio francesa. A direcção da sigla suspendeu Jean Marie Le Pen na noite desta segunda-feira (4) por causa de suas reiteradas declarações polémicas sobre o extermínio dos judeus na Segunda Guerra Mundial.

Os militantes da Frente Nacional devem decidir em uma assembleia extraordinária, daqui a 3 meses, se ele perderá definitivamente o cargo de presidente de honra da Frente Nacional. Diante da situação, Jean-Marie Le Pen acusa a filha de “traição”.

O vice-presidente do partido, Florian Philippot apontado por Jean Marie Le Pen como o idealizador dessa manobra, defende Marine Le Pen em entrevista a RFI. “Durante toda essa crise, que foi difícil e desagradável – ” Marine Le Pen, – agiu como estadista. Ela assumiu suas responsabilidades. E não foi fácil para ela. Mas, ela conseguiu separar as coisas, separar o lado pessoal de suas responsabilidades de chefe, de chefe política, de futura chefe de Estado”. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA