Fnuap oferece equipamentos para cirurgia de fístula

FLORBELA FERNANDES - REPRESENTANTE DO FNUAP EM ANGOLA (Foto: Rosário Santos)

Vinte kits cirúrgicos diversos de 36 unidades para a reparação da fístula obstétrica foram entregues hoje, quinta-feira, em Luanda, na Maternidade Lucrécia Paím, pelo Fundo das Naçoes Unidas Para a População (Fnuap).

FLORBELA FERNANDES - REPRESENTANTE DO FNUAP EM ANGOLA (Foto: Rosário Santos)
FLORBELA FERNANDES – REPRESENTANTE DO FNUAP EM ANGOLA (Foto: Rosário Santos)

A entrega do equipamento (pinças, tesouras e afastadores), foi recebida pelo Director da Maternidade Lucrécia  Paím, Abreu Pecamena.

A representante da organização, Florbela Fernandes, que procedeu a entrega, referiu o gesto como importante, devido ao facto de existerem muitas mulheres e sobretudo, jovens que precisam de uma cirurgia para reparar deficiências que provêem de partos.

“Nós, como Fundos das Nações Unidas para a População estamos interessados em garantir que todas as mulheres possam ter acesso a um parto que seja seguro e planejar as suas gravidezes”, garantiu.

A responsável disse que este kit vai ajudar muitas mulheres a terem a sua vida de volta e a conquistarem a sua dignidade, se realizando profissionalmente, lembrando que muitas perdem várias oportunidades devido a patologia, sendo ainda discriminada pelos maridos e demais familiares.

Exortou aos profissionais a saberem fazer uso do material e que se identifiquem com a causa  pois é uma situação que tende a afectar as mulheres que são bastante vulneráveis.

Já para o director da Maternidade Lucrécia Paím, Abreu Pecamena,  a fístula é uma doença que poucas pessoas conhecem como patologia, e é considerado como  um problema de saúde pública. Para si esta doação, vai em grande medida ajudar a aumentar o número de cirurgias feitas das fístulas.

Adiantou que a cirurgia da fístula na Maternidade é um trabalho ainda pioneiro, e que por muito tempo foram buscar experiência no hospital da Damba, para onde enviaram profissionais.

Fez saber que em 2014, decorreu o primeiro seminário na Maternidade Lucrécia Paim, e foram feitas 17 cirurgias num período de uma semana.

Informou igualmente que neste mesmo ano acima citado, iniciaram-se as operações de fístula, tendo actualmente cinco casos por operar.

A fístula, reforçou, é uma patologia que mata, principalmente a população das comunidades, pois elas se isolam e perdem o carinho de toda a família chegando até  a morte.

Exortou as mulheres a fazerem o acompanhamento do pré-natal para evitar casos de género, pois os partos  não devem ser feitos  em casa, mas sim nas unidades hospitalares para evitar esta patologia. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA