Ex-presidente do Egipto é condenado a prisão em caso de corrupção

(AFP 2015/ MOHAMED EL-SHAHED)

 

(AFP 2015/ MOHAMED EL-SHAHED)
(AFP 2015/ MOHAMED EL-SHAHED)

Hosni Mubarak e seus dois filhos, Gamal e Alaa, foram condenados a três anos de prisão por desvio de verbas públicas.

Além da pena de prisão, o juiz Hasan Hasanein deliberou que a família do ex-presidente pague uma multa de 125 milhões de libras egípcias (cerca de 17 milhões de dólares). O montante equivale ao das verbas que teriam sido roubadas.

Mubarak enfrenta também outras acusações, que incluem a comunicação de informações secretas a outros países.

Além disso, o ex-presidente já foi condenado a 20 anos de prisão pela repressão violenta de uma manifestação contra o seu governo, em 2012.

Porém, tanto Hosni Mubarak como os seus filhos podem evitar a prisão desta vez, já que cumpriram sentenças semelhantes em outros casos.

Hosni Mubarak foi derrubado do poder em 2011, no auge da Primavera Árabe. Naquela altura, Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana, assumiu o poder, perdendo-o em 2013 para o presidente eleito Abdel Fattah al-Sisi.

Ainda este ano, corriam rumores sobre a eventual morte do ex-presidente Mubarak, que foram desmentidos logo pelas autoridades médicas. (sputniknews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA