EUA dizem-se “decepcionados” com condenação de Rafael Marques

Jeff Rathke, director do Gabinete de Comunicação do Departamento de Estado (VOA)
Jeff Rathke, director do Gabinete de Comunicação do Departamento de Estado (VOA)
Jeff Rathke, director do Gabinete de Comunicação do Departamento de Estado (VOA)

Os Estados Unidos dizem estar “profundamente decepcionados com a condenação de Rafael Marques por difamação e estão preocupados com o impacto negativo que esta decisão terá sobre as liberdades de expressão e de imprensa em Angola”.

A posição de Washington foi manifestada nesta sexta-feira, 29, num comunicado do Departamento de Estado.

No documento, a Administração Obama “exorta o Governo de Angola a respeitar o direito constitucional dos seus cidadãos à liberdade de expressão e a colocar um fim em processos contra aqueles que exercem esse direito”.

O respeito pelos direitos humanos e a  boa governação é um valor fundamental dos Estados Unidos, de acordo com o comunicado que lembra que Washington tem manifestado regularmente e de forma clara ao Governo angolano as suas preocupações “sobre direitos humanos,  liberdade de imprensa, governação e corrupção e continuará a fazê-lo como parte do diálogo bilateral em curso”, conclui o comunicado assinado por Jeff Rathke, director do Gabinete de Comunicação do Departamento de Estado.

Recorde-se que o activista e jornalista angolano Rafael Marques foi condenado pelo Tribunal Provincial de Luanda por difamação nesta quinta-feira, 28, a seis anos de prisão com pena suspensa por dois anos, ao pagamento de uma multa e proibido de republicar o livro Diamantes de Sangue, no qual acusa de violação de direitos humanos a nove generais e duas empresas que exploram o diamante nas Lundas. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA