Editorial: Petrolífera banqueira

CARLOS ROSADO DE CARVALHO Director do semanário Expansão (Foto: D.R.)
CARLOS ROSADO DE CARVALHO Director do semanário Expansão (Foto: D.R.)
CARLOS ROSADO DE CARVALHO
Director do semanário Expansão
(Foto: D.R.)

No ano de 2014, foram concedidas pelo Estado angolano à Sonangol E.P. prestações suplementares no valor de 100.528 milhões Kz ou 1.062 milhões USD. Os valores desembolsados pelo Estado tiram como objectivo capitalizar a Sonangol E.P. com o objectivo do reforço do investimento financeiro no BCP e investimento no Banco Económico S.A”.

O parágrafo anterior é do Relatório & Contas 2014 da Sonangol. Traduzindo do ‘economês’, os contribuintes angolanos ‘injectaram’ mais de 100 mil milhões Kz, o equivalente a mais de mil milhões USD para os menos familiarizados com a moeda nacional, na sua concessionária petrolífera, para esta investir… em bancos.

Os 100 mil milhões Kz injectados pelos contribuintes na petrolífera para investir em bancos são praticamente o mesmo que os 103,8 mil milhões Kz que o Governo destinou este ano para o conjunto dos programas de investimento público de oito províncias: Bié, Huambo, Cuanza Sul, Cunene, Moxico, Uíge, Lunda Norte e Cabinda.

O relatório não diz quanto foi para quem, mas só o Millennium BCP exigiu da petrolífera um esforço de 109,0 mil milhões Kz, em 2014: 55,3 mil milhões Kz na compra de acções e 53,6 mil milhões em provisões para menos-valias. Quanto ao no BESA, o relatório apenas refere um adiantamento de 16,8 mil milhões Kz. Contudo, uma análise mais fina revela que a Sonangol emprestou 17,8 mil milhões Kz a duas accionistas do novo BESA.

Em 2014, a Geni, que já era accionista do Banco Espírito Santo Angola e é referida na comunicação social como sendo controlada por empresários angolanos, recebeu suprimentos de 5,3 mil milhões Kz da Sonangol, enquanto a Lektron, que tem sido associada a capitais chineses, recebeu 12,5 mil milhões Kz.

Ou seja, além de usar dinheiro dos contribuintes para investir em bancos, será que concessionária de petróleos está a emprestar dinheiro dos contribuintes a empresas privadas para estas investirem em bancos? Só perguntei… (expansao.ao)

 

1 COMENTÁRIO

  1. O cidadão que “só perguntou”, fê-lo com preocupação lógica e legítima. À pergunta dele, acrescento outras duas: será que, a petrlífera e as empresas privadas (Geni,Lektron etc,etc)amortizam os valores recebidos? Em caso afirmativo, em quanto tempo?

DEIXE UMA RESPOSTA