Dirigente do PSD de Portugal valoriza contactos com MPLA

MARCOS ANTÓNIO COSTA, VICE- PRESIDENTE DO PSD (Foto: Pedro Parente)

O vice-presidente do Partido Social Democrata (PSD) Portugal, Marcos António Costa, classificou, nesta quinta-feira, em Luanda, de “grande importância” os contactos mantidos com a direcção do MPLA.

MARCOS ANTÓNIO COSTA, VICE- PRESIDENTE DO PSD  (Foto: Pedro Parente)
MARCOS ANTÓNIO COSTA, VICE- PRESIDENTE DO PSD (Foto: Pedro Parente)

O dirigente partidário luso fez esta avaliação quando falava à imprensa, no final do último encontro mantido com a direcção do MPLA, chefiada pelo seu vice-presidente, Roberto de Almeida, com a qual já se reuniu na terça-feira, última dia da sua visita à Angola.

Segundo o responsável, os contactos mantidos durante os três dias da sua visita ao país foram de “grande importância” para o futuro entre o PSD e o MPLA, e entre Angola e Portugal.

“Ficou um compromisso firmado entre o PSD e o MPLA, no sentido de continuarmos a trabalhar conjuntamente nos próximos tempos”, para a concretização, na devida altura, de um acordo de cooperação entre os dois partidos.

A segunda figura na hierarquia do PSD, que termina hoje a sua visita a Angola, disse que leva para Portugal uma mensagem extraordinária de solidariedade e de amizade do povo angolano e do MPLA para com os portugueses.

“Também deixamos ficar esta mesma mensagem de solidariedade e o compromisso de companheirismo no caminho que temos que fazer em conjunto”, acrescentou Marcos Costa.

Disse que a partir deste momento o PSD e o MPLA devem olhar com objectividade para as questões que preocupam os dois povos e Estados e encontrar as soluções para a sua solução, sempre na lógica de entreajuda e respeito mútuo.

O PSD é um partido de centro-direita, fundado em 6 de Maio de 1974 sob o nome de Partido Popular Democrático (PPD) e foi legalizado em 25 de Janeiro de 1975, passando a designar-se a 3 de Outubro de 1976 Partido Social Democrata (PSD).

Actualmente, é o partido com a maioria dos assentos na Assembleia da República portuguesa e suporta, em coligação com o CDS – Partido Popular, o actual Governo de Portugal. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA