Cuanza Norte: O amor deve ser cultivado na prática – Bispo Almeida Kanda

Cuanza Norte: Dom Almeida Kanda - bispo da diocese de Ndalatando (Foto: Lucas Leitão)
 Cuanza Norte: Dom Almeida Kanda - bispo da diocese de Ndalatando (Foto: Lucas Leitão)

Cuanza Norte: Dom Almeida Kanda – bispo da diocese de Ndalatando (Foto: Lucas Leitão)

O bispo de Ndalatando, Dom Almeida Kanda, exortou domingo, nesta cidade, aos cristãos a promoverem os valores essenciais da família humana e a cultivarem o espirito de amor não apenas em sentimentos, mas na prática da vida de cada um.

O prelado católico proferiu estas palavras durante a missa de encerramento da 11ª peregrinação ao Santuário de Maria Auxiliadora, em Ndalatando, lembrando a morte de Jesus na cruz, a sua ressurreição e a descida do Espirito Santo aos apóstolos, no Pentecostes.

“Hoje assistimos ao declinar do compromisso do matrimónio nas famílias humanas”, sublinhou, continuando que a partir do Pentecostes o mundo começou a registar uma transformação moral nos costumes, nas leis e nas instituições, provando à sociedade que uma nova religião divina estava a começar com notas características de igreja verdadeira de Cristo.

Depois de exortar os fiéis a acautelarem-se do que chamou “moda das seitas religiosas com ideias divisionistas e não assentes nos princípios cristãos” o orador destacou a necessidade de acabar-se a confusão na vida das pessoas, dando sentido leal a ela.

Recordou ainda que a igreja e os cristãos acompanharam jesus na cruz, contemplando a profunda dor, compreendendo assim que o seu sofrimento significou amor para com cada um.

Para o bispo católico, actualmente, no mundo, a religião cristã é a mais perseguida nas diferentes maneiras, tendo assinalado que existem cristãos que sofrem por serem fiéis a Jesus Cristo.

Desta edição da peregrinação ao santuário de Maria Auxiliadora, participaram mais de cinco mil devotos do Cuanza Norte, Luanda, Benguela, Cuanza Sul, Bengo, Malanje, Huila, Huambo e Moxico para além de demais regiões de Angola onde está representada a congregação dos padres salesianos de dom Bosco, promotora da acção.

A jornada religiosa teve como ponto mais alto uma procissão que no sábado percorreu cerca de cinco quilómetros das ruas de Ndalatando, enquanto o seu programa ficou também preenchido por encontros juvenis, momentos culturais, retiros, palestras e catequeses, com a abordagem de diferentes temas.

O santuário de Nossa Senhora Maria Auxiliadora, localizado no bairro Kipata, pertence à Diocese de Ndalatando, fundada em 1990 e que tem como bispo dom Almeida Kanda. A diocese conta com nove paróquias e 102 missionários, entre os quais 27 padres e 69 madres, auxiliados por 656 catequistas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA