Cuanza Norte: Falta de vacina anti-rábica humana dificulta atendimento

CUANZA NORTE : DIRETOR PROVÍNCIAL DA SAÚDE - MANUEL DUARTE VARELA (Foto:Angop)

Ndalatando – O director da saúde no Cuanza Norte, Manuel Duarte Varela, afirmou hoje, terça-feira, em Ndalatando, que a falta de vacinas anti-rábicas humanas nos hospitais da província está a dificultar o atendimento de pacientes vítimas de mordedura de animais, facto que está a preocupar as autoridades sanitárias da região.

CUANZA NORTE : DIRETOR PROVÍNCIAL DA SAÚDE - MANUEL DUARTE VARELA (Foto:Angop)
CUANZA NORTE : DIRETOR PROVÍNCIAL DA SAÚDE – MANUEL DUARTE VARELA (Foto:Angop)

Em declarações à Angop, Manuel Varela, referiu que por falta de vacinas, em caso de mordedura de animais, as vítimas beneficiam apenas dos primeiros socorros consubstanciados na lavagem do local da mordedura.

O responsável disse, sem adiantar há quanto tempo o facto persiste, que as autoridades locais  já solicitaram  à Direcção Nacional de Saúde Pública no sentido de resolver a situação, aguardando pela solução.

Para atenuar a situação Manuel Varela disse que as autoridades limitam-se a recomendar os cidadãos a terem mais cuidado com os animais, incluindo a sua vacinação e em caso de mordeduras cumprirem com as normas de higiene exigidas como lavar a ferida com água e sabão e mante-la asseada, bem como seguirem o comportamento do animal durante os 12 dias subsequentes.

Manuel Duarte Varela frisou que a raiva constitui um problema de saúde pública que envolve uma actuação multi-sectorial do governo, cabendo, na província, a direcção da agricultura a coordenação das acções de combate a raiva, através da vacinação dos animais.(portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA