Conflito: Parlamento da Ucrânia dificulta vida a tropas russas na Transdniestria

(D.R)

O Parlamento ucraniano denunciou hoje uma série de acordos bilaterais com a Rússia no âmbito da segurança e da defesa, dificultando o acesso russo à região separatista da Transdniestria.

(D.R)
(D.R)

Entre outros acordos denunciados pelo Parlamento encontram-se os que permitiam o transporte de cargas militares e de tropas de manutenção da paz russas para a Transdniestria, território entre a Ucrânia e a Moldávia.

O cancelamento destes acordos específicos com a Rússia surge após o governo ucraniano ter anunciado ontem a rescisão do documento-quadro de cooperação técnico-militar entre os dois países, assinado em 1993.

“A Federação Russa é um Estado agressor que anexou a Crimeia ilegalmente e interveio militarmente nas regiões de Donetsk y Lugansk”, salientou o primeiro-Ministro ucraniano, Arseniy Yatseniuk, afirmando que a decisão decorre “da ameaça que a Rússia representa para a Ucrânia e para a sua integridade territorial”.

No ano passado, após acusar Moscovo de apoiar a rebelião pró-russa no leste do país, o Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, mandou suspender todos os fornecimentos de materiais e equipamentos usados pela indústria militar para a Rússia.

“Temos de encontrar soluções, de pensar como reagir no imediato. Não podemos abandonar a Transdniestria e a Moldávia”, disse por seu lado hoje em Moscovo o chefe do Comité da Defesa russa de Duma, câmara baixa do Parlamento russo.

No entanto, as possibilidades de abastecer e substituir o contingente russo na Transdniestria – uma estreita faixa isolada entre a Ucrânia e a Moldávia, sem ligação por mar – são inexistentes, a menos que se consiga um acordo com a Roménia e a Moldávia para permitir o tráfego aéreo através dos seus territórios.

“Olhando para o mapa, torna-se impossível ignorar a geografia se nos fecharem o território (Ucrânia) por terra e ar”, salientou Vladimir Komoyédov.

A Transdniestria, autoproclamada independente, rompeu os laços com a Moldávia depois de um conflito armado em que contou com o apoio da Rússia, entre 1992 e 1993.

Desde o final desse conflito, que causou centenas de mortes, que a Moldávia apela para a integração dos dois territórios separados pelo rio Dniestre, algo sempre recusado pelos separatistas pró-russos.

Em setembro de 2006, cerca de 97 por cento dos habitantes da Transdniestria votaram um referendo a favor da independência e da futura integração na Federação russa. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA