Chefes de Estado preparados para examinarem situação de segurança

Logotipo da Cimeira dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)
Logotipo da Cimeira dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)
Logotipo da Cimeira dos Grandes Lagos (Foto: Francisco Miudo)

Os chefes de Estado e de Governo dos países membros da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) reúnem-se hoje, segunda-feira, em Luanda, para analisarem a situação de segurança e humanitária da sub-região.

Atenção especial merecerá as repúblicas do Burundi, Centro Africana, Democrática do Congo, Sudão do Sul, bem como questões ligadas a ameaça de terrorismo na referida zona.

A República de Angola, na pessoa do seu Presidente, José Eduardo dos Santos, assume desde 2014, a presidência rotativa da CIRGL, por dois anos.

De acordo com o programa de trabalho da sessão, o Presidente angolano, na qualidade de anfitrião, fará a abertura do evento com um discurso de boas-vindas dirigido aos seus homólogos ou seus representantes.

De seguida dar-se-á início ao encontro a porta-fechada, consagrada à adopção da agenda de trabalhos, onde será feita a apresentação das recomendações da reunião do comité interministerial deste órgão.

No decorrer da reunião, o Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, vai fazer a apresentação do ponto de situação de segurança no seu país e sobre o processo de desarmamento das Forças Democráticas de Libertação do Ruanda (FDLR), seguido também do líder do Sudão do Sul, Salva Kiir, igualmente a prestar uma informação sobre a situação no seu território.

De igual modo, ainda de acordo com o programa que à Angop teve acesso, a presidente da República Centro-Africana, Catherine Samba Panza, e do Burundi, Pierre Nkurunziza, vão fazer ao líder em exercício da CIRLG, José Eduardo dos Santos, o ponto de situação de segurança nos seus respectivos países.

Ainda na mesma senda, o Chefe de Estado do Quénia, Uhuru Kenyata, também vai prestar uma informação sobre a ameaça de terrorismo na região dos Grandes Lagos.

No final do encontro, que termina no princípio da tarde do mesmo dia, será feita a leitura do comunicado final do encontro, ao que se seguirá a oferta de um almoço oficial por parte do estadista angolano aos seus homólogos, e respectivas delegações.

O líder angolano, no exercício das funções de Presidente da CIRGL, tudo tem feito para que a solução nestes países em conflitos internos, as divergências quer do ponto de vista político ou religioso, sejam resolvidas de forma pacífica, através do diálogo, ao invés do recurso a violência armada, factores que perturbam e retardam o processo de integração e o desenvolvimento da região e do continente africano, em geral.

A Cimeira de cúpula dos líderes da CIRGL foi antecedida de três encontros, concretamente dos chefes de Estados Maiores Generais das Forças Armadas e dos chefes dos Serviços de Informação (conjunta), dos ministros da Defesa e das Relações Exteriores (em separado) deste órgão regional.

Para participarem na cimeira, estão em Luanda os presidentes do Sudão do Sul, Salva Kiir, da Zâmbia, Edgar Lungu, de Transição da República Centro-Africana, Catherine Samba Panza, e o vice-presidente do Sudão, Hassabo Mohamed.

O Chefe de Estado da África do Sul, Jacob Zuma, participará no evento como convidado.

A CIRGL foi criada após os conflitos políticos que marcaram a região dos Grandes Lagos, em 1994. Dela fazem parte as repúblicas de Angola, Burundi, Centro-Africana, do Congo, Democrática do Congo, do Quénia, da Uganda, do Rwanda, do Sudão, do Sudão do Sul, da Tanzânia e da Zâmbia. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA