Bruxelas aprova OPA dos espanhóis do CaixaBank sobre o BPI

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

A Comissão Europeia aprovou a oferta pública de aquisição (OPA) do CaixaBank sobre o BPI. Bruxelas não levanta problemas de concorrência por considerar que as quotas de mercado combinadas são pequenas.

“A Comissão Europeia aprovou a proposta de aquisição, de acordo com a regulação de fusões da União Europeia, feita ao banco português BPI pelo espanhol CaixaBank”, refere Bruxelas em comunicado.

Segundo o documento, “a Comissão concluiu que a proposta de aquisição não levanta problemas de concorrência porque a combinação das quotas de mercado é bastante pequena”.

O CaixaBank ainda necessita de luz verde do Banco Central Europeu e da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) para cumprir todos os requisitos para conseguir registar a operação junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O grupo catalão lançou uma OPA sobre o BPI, a 17 de fevereiro, no qual ofereceu 1,329 euros por ação. O CaixaBank condicionou o sucesso da operação à aquisição de mais de 50% do capital do BPI, assim como ao fim da limitação de votos. Um ponto que será submetido a aprovação na próxima assembleia geral de acionistas, a 17 de junho.

Apesar de o CaixaBank ser o maior acionista do BPI, com 44,9% do capital, está limitado a votar com apenas 20%. Ou seja, acaba por ter o mesmo poder que Isabel dos Santos (que detém 18,6%). A intenção do CaixaBank é acabar com este limite e assumir o controlo, com mais de 50%. Para conseguir a aprovação da desblindagem necessita da empresária angolana.

No entanto, Isabel dos Santos propôs como alternativa a fusão entre o BPI e BCP. Um cenário que o BCP já se mostrou disponível para analisar, e que o BPI remeteu qualquer posição apenas após o desfecho da OPA dos espanhóis. (dinheirovivo.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA