BPC com provisões insuficientes para crédito malparado

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Auditores dizem que provisão para risco de crédito não cobre as perdas estimadas, mas não conseguem quantificar valores em falta face às regras do BNA por “limitações do sistema informático”.

As provisões para crédito de cobrança duvidosa do BPC são insuficientes, sobretudo em relação a operações alvo de acordos de reestruturação de dívida de entidades fornecedoras do Estado, alertam os auditores das contas de 2014 do banco estatal. Segundo o Relatório de Auditoria, publicado no Jornal de Angola, esta é a única reserva às contas da instituição liderada por Paixão Júnior, que em 2014 viu os lucros subirem 23,6%, para cerca de 8,9 mil milhões Kz.

As reservas às provisões para crédito de cobrança duvidosa, recorde-se, têm vindo a ser assinaladas nos últimos relatórios e contas da instituição, disponibilizados no seu website.

Os auditores da UHY – A. Paredes e Associados Angola alertam que o BPC, “por limitações dos seus sistemas informáticos, não se encontra a cumprir com os requisitos previstos no Aviso n.º 3/2012, de 28 de Março, do Banco Nacional de Angola (BNA) relativamente à classificação de risco das operações de crédito e consequente apuramento de provisões em geral, mas com incidência no que se refere a operações de crédito alvo de acordos de reestruturação”. (expansao.ao)

Por: Ricardo David Lopes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA