Bié: Defendido diálogo na resolução de conflitos no seio familiar

BANDEIRA DA OMA (Foto: BARTOLOMEU DO NASCIMENTO)
BANDEIRA DA OMA (Foto: BARTOLOMEU DO NASCIMENTO)
BANDEIRA DA OMA (Foto: BARTOLOMEU DO NASCIMENTO)

A secretária da Organização da Mulher Angolana (OMA) na província do Bié, Amélia Calumbo Quintas defendeu hoje (sexta-feira) na cidade do Cuito, a necessidade das famílias primarem pelo diálogo na resolução de conflitos.

Falando à Angop sobre o assunto, Amélia Calumbo Quintas mostrou-se ainda preocupada em função devido a desestruturação de certas famílias causadas muitas vezes pela violência doméstica e outros conflitos, tendo defendido a imperiosidade dos “chefes” de famílias optarem pelo diálogo.

Para tal, segundo ela, a OMA tem vindo a promover palestras de moralização de sociedade, assim como acções de sensibilização juntos das famílias visando optarem pela conversação na resolução dos problemas nos lares.

Assegurou ainda que as palestras abrangem não só nas sedes municipais, comunas, embalas e aldeias, visando reduzirm a violência doméstica na província do Bié.

Assinala-se hoje (15 de Maio), o Dia Internacional da Família, proclamado em 1993 pela Organização das Nações Unidas (ONU), para chamar a atenção dos governos, sobre a importância da família como núcleo vital da sociedade e sobretudo dos seus direitos e responsabilidades.

Segundo a ONU, as mães desempenham um papel crucial na família, a qual representa, por sua vez, um factor poderoso de coesão e integração social. A relação entre mãe e filhos é vital para o desenvolvimento saudável dos filhos.

Em Angola, o Governo tem sido um agente dinamizador da transformação espiritual de muitas famílias, em particular no resgate dos valores éticos e morais.

Testemunharam o evento, os membros do Governo da província do Bié, deputadas à Assembleia Nacional, oficiais superiores e subalternos das Forças Armadas Angolanas e da Polícia Nacional, entidades religiosas e tradicionais e convidados. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA