Benguela: Defendida maior discussão sobre o acordo ortográfico de 1990

Leonel da Rocha Pinto (ANGOP)
Leonel da Rocha Pinto (ANGOP)
Leonel da Rocha Pinto (ANGOP)

O presidente do comité de gestão do grupo de Líderes Empresariais de Angola, Leonel da Rocha Pinto, defendeu, em Benguela, a necessidade de uma maior discussão sobre o Acordo Ortográfico de 1990, antes da sua aplicação no país.

O responsável que interveio na conferência sobre a posição de Angola face ao Acordo Ortográfico de 1990 (AO90) e seu impacto no contexto sócio-económico, no âmbito da Vª edição da Feira Internacional de Benguela, que decorre desde 13 deste mês, disse que uma maior divulgação do assunto levaria a melhorar a posição de Angola a esta nova forma de escrever e falar.

“Constitui preocupação na classe empresarial, o facto de muitos documentos passarem nas áreas administrativas, assim como de livros provenientes do Brasil com a escrita diferente da nossa”, frisou.

Na sua óptica, o Acordo Ortográfico visa elaborar um conjunto de regras comuns da língua oficial e desta forma haverá um único modelo em que os países deverão falar e escrever.

Para si, deve haver apenas um modelo único, reflectir sobre as implicações que este acordo terá nos países, assim como respeitar a cultura de cada um dos países e aceitar que haverá alterações.

Referiu que tanto na componente administrativa, assim como técnica e informática, há alterações, pelo que há necessidades que os peritos discutam sobre o assunto. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA