Benguela: Caimbambo elege 10 representantes para Assembleia Provincial da Criança

BENGUELA: ELEITOS REPRESENTANTES DE CAIMBAMBO À ASSEMBLEIA PROVINCIAL DA CRIANÇA (ARQ.) (Foto: Bartolomeu Nascimento)

Caimbambo – Dez crianças de diferentes estratos sociais foram eleitas quinta-feira como representantes do município de Caimbambo, província de Benguela, à sétima Assembleia Provincial da Criança, a realizar-se em Junho próximo.

BENGUELA: ELEITOS REPRESENTANTES DE CAIMBAMBO À ASSEMBLEIA PROVINCIAL DA CRIANÇA (ARQ.) (Foto: Bartolomeu Nascimento)
BENGUELA: ELEITOS REPRESENTANTES DE CAIMBAMBO À ASSEMBLEIA PROVINCIAL DA CRIANÇA (ARQ.) (Foto: Bartolomeu Nascimento)

A escolha dos representantes ocorreu durante uma assembleia municipal, que juntou 70 crianças de Caimbambo, numa promoção da direcção provincial de Benguela do Instituto Nacional da Criança (INAC). Foi eleito igualmente um conselho municipal da criança, tendo como presidente Isabel Tchiteculo.

O encontro, presidido pelo chefe de Secção Provincial de Proteção da Criança, Armandinho Beatriz de Almeida, teve como objectivos apelar aos principais actores sociais a intervirem de forma concentrada e actuante nos programas destinadas à criança, fixando prioridades no desenvolvimento infantil comunitário, com particular incidência no meio rural, à luz dos 11 compromissos da criança.

O responsável apontou como finalidades do encontro a importância de se cultivar nas crianças e adultos o respeito de denúncia sobre a violação dos direitos da criança e encaminhamento dos casos aos órgãos competentes.

Ao intervir na ocasião, a presidente do conselho municipal da Criança em Caimbambo, Isabel Tchiteculo, solicitou do executivo a construção de mais espaços educativos, postos de saúde, creches, centros recreativos e quadras desportivas para o bem-estar dessa franja social.

Por sua vez, o administrador municipal adjunto de Caimbambo, Carlos Manuel, em seu discurso de encerramento do fórum infantil, assegurou o cumprimento por parte das autoridades e demais actores sociais das conclusões a favor da criança. (portalangop.co.ao)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA