Administrações municipais na Huíla orientadas a verificarem impacto dos recursos alocados

Governador da Huíla, Marcelino Tyipinge (Foto: Morais Silva)
Governador da Huíla, Marcelino Tyipinge (Foto: Morais Silva)
Governador da Huíla, Marcelino Tyipinge (Foto: Morais Silva)

A primeira reunião ordinária do Governo da Huíla, decorrida nesta quinta-feira, no Lubango, recomendou as administrações municipais a verificarem o impacto de recursos alocados com relação aos objectivos traçados e mensurar os programas na sua aplicação.

De acordo com o comunicado final chegado hoje à Angop, o encontro dirigido pelo governador, João Marcelino Tyipinge, informou aos participantes que para o ano económico 2015, as administrações municipais não terão verbas para a aquisição de meios de recolha de resíduos sólidos, pelo que devem potenciar algumas operadoras locais para assegurar o saneamento básico.

O governo considera vital que se envolva a população beneficiária dos serviços de água e energia no pagamento de consumo, para assegurar questões de operação e manutenção.

O encontro recomendou as administrações municipais a fazerem um estudo global para a comparticipação dos munícipes na recolha dos resíduos e encontre mecanismos para intalação e utilização dos equipamentos existentes.

Orientou a direcção provincial da educação a encetar demarches junto das autoridades administrativas da Humpata para se dar arranque às obras de reabilitação do Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro.

Na reunião, os participantes analisaram as recomendações saídas do encontro anterior, relatório anual no programa integrado de desenvolvimento rural e de combate à pobreza, apreciação do Orçamento Geral do Estado e as actividades realizadas pelo governo no ano transacto.

A situação da malária, HIV/Sida, relatório de balanço do natal da criança e divisão política de Angola, são dos demais assuntos em abordagem. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA