6 Passos: Para sobreviver em tempo de crise financeira!

Jonísio Salomão (DR)
Jonísio Salomão (DR)
Jonísio Salomão (DR)

A economia internacional tem registado sucessivas crises que têm obrigado diversos Estados e Nações efectuarem contenções de despesas ou gastos e consequentemente aumentar as políticas de angariação de receitas, que quando excessivas acabam por levar os países a um nível de austeridade. Ninguém gosta de ouvir o termo “austeridade”, mais é o termo da actualidade. Em que, muitos países terão de conviver durante o século XXI.

Em face a este período conturbado e difícil urge a necessidade dos agentes económicos efectuarem um uso correcto dos rendimentos disponíveis, nesta diversidade de oferta de bens e serviços em que a necessidade mantém-se constantes e os rendimentos cada vez mais ilimitados.

No presente artigo apresentamos 6 passos, que no nosso entender, são relevantes para sobreviver em tempos de crise:

1 – Identifique aonde e como gasta os seus rendimentos;

Várias vezes pronunciamos a seguinte frase “não sei aonde vai o meu dinheiro”, a utilização do dinheiro electrónico, tornou -se mais usual no tempos de hoje, acabando praticamente por substituir o dinheiro físico. A falta de controlo nos pagamentos efectuados pelos consumidores e clientes tem levado muitos ao endividamento, sobretudo quando se trata de cartões de crédito.

O ideal seria levantar ou ainda utilizar o dinheiro físico e no final de cada compra ficar com os recibos ou comprovativos dos pagamentos efectuados, elaborar uma planilha no Excel para acompanhar as despesas efectuadas ou ainda possuir uma caderneta em que regularmente anotamos as despesas efectuadas. Tal acto nos permitiria identificar os gastos e reflectir se tais despesas fazem parte das despesas prioritárias ou essências.

2 – Liberta – se de coisas ou bens que já não usa;

Conheço colegas e amigos que possuem centenas de pares de sapatos e roupa que não usam. E mesmo assim continuam a comprar!

O consumismo e a influência da publicidade, nos torna muitas das vezes em consumidores compulsivos, acabando por não distinguir que bens ou serviços são mais importantes.

O ideal seria identificar as coisas importantes ou essenciais e as não forem, repassa – lás ou revende – lás. Desta forma estaríamos a nos libertar de muito fardo e ainda ganhar algum dinheiro.

3 – Faça uma listagem das despesas que realiza e prioriza as mais urgentes;

Caímos muita das vezes não discussão entre o prioritário e o urgente, muitas coisas são urgentes, mais nem todas são prioritárias e vice – versa.

O que queremos com isso dizer, é em função das nossas necessidades, identificar aquelas mais prementes, sobretudo alimentação, saúde e educação.

No caso da alimentação o ideal seria junto de alguém com conhecimento mais profundo sobre a matéria elaborar um menu semanal, e, em função do mesmo, elaborar um plano de compras de modo a evitar desperdícios obtendo proveito dos rendimentos.

Esteja atento, nem tudo o que a mídia publicita é importante para você!

4 – Faça poupança quando possível por causa de situações de emergências;

Quando a situação financeira permitir o correcto seria possuir uma poupança para fazer face a situações de emergências.

Ou mesmo caso haja disponibilidade financeira faça aplicações de maneira a rentabilizar o seu capital.

5 – Evite gastar mais do que ganha

Este geralmente tem sido o problema se não de todos de uma boa parte dos agentes económicos, geralmente motivados por situações diversas acabamos por gastar mais do que recebemos, acabando por gerar um endividamento que, quando não controlado tende atingir proporções alarmantes.

6 – Crie, inove e sobreviva

Diz – se que em tempos de crise ou dificuldades que, as pessoas tornam-se mais criativas. Albert Eistein dizia que “No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade”, por isso aproveite para reflectir o que você sabe fazer bem, e que de facto pode tirar proveito, olhe ao seu arredor e identifique a oportunidade e escolha a hora para agir.

Lembre – se, nunca é tarde para começar uma nova etapa da sua vida.

por Jonísio C. Salomão [01]

[01]Mestre em Administração de Empresas; Consultor Empresarial e Técnico Oficial de Contas.

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA