Uso frequente de ascultadores contribui para perda de audição

(codi-tek.com)
(codi-tek.com)
(codi-tek.com)

A exposição a ruídos fortes, como o uso de auscultadores para ouvir música num volume elevado, e o facto de estar perto de altifalantes em festas e concertos, são alguns dos factores dos casos de perda da audição, principalmente nos adolescentes.

A afirmação foi feita hoje, terça-feira, pelo otorrino Filipe Muteba, durante um Workshop sobre perda de audição, alusivo ao dia Internacional de Prevenção de surdez, a ser comemorado hoje (3 de Março).

Segundo o responsável, os ruídos fortes, como os produzidos pelos equipamentos de carpintaria, serras mecânicas, motores de explosão, maquinaria pesada, tiros ou aviões, podem provocar uma perda da audição porque são destruídos os receptores auditivos (células peludas) do ouvido interno.

Adiantou que apesar da sensibilidade ao ruído variar consideravelmente de pessoa para outra, quase todas perdem um pouco da audição se se expuserem a um ruído intenso por tempo suficientemente prolongado.

Explicou que qualquer ruído que ultrapasse os 85 decibéis é prejudicial, pois as lesões por expansão sonora devido a explosões (trauma acústico) provocam o mesmo tipo de perda auditiva.

Avançou que este tipo de perda de audição é permanente e geralmente é acompanhada por um zumbido nos ouvidos de alta frequência.

Segundo o especialista, a perda de audição pode ser evitada limitando a exposição ao ruído intenso, reduzindo o nível de ruído sempre que seja possível e permanecendo longe das fontes de ruído.

Pode-se reduzir a exposição ao ruído usando protectores dos ouvidos, como tampões de plástico que se colocam nos canais auditivos ou então almofadas cheias de glicerina que cobrem as orelhas”, acrescentou.

De acordo com o médico, o hospital Josina Machel tem atendimento cerca de 40 pacientes diariamente, considerando o mesmo como um problema que merece a devida atenção.

A perda de audição, frisou, ocupa o terceiro lugar nas urgências do hospital Josina Machel, sendo o ruído um intruso na vida dos angolanos.

Segundo ele, a juventude actualmente tem usado com frequência aparelhos auditivos de som com altas potências, explicando que os mesmos são um grande influente para a surdez, pois ele ultrapassa os 120 decibeis.

É também frequente a entrada de crianças com corpos estranhos nos ouvidos diariamente no hospital entre 5 a 8 casos diários .

Há dois anos atrás foi decidido pela OMS consagrar o 3 de Março de cada ano como o dia dos cuidados dos ouvidos. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA