Sucessão de Guebuza em discussão no Comité Central da Frelimo

Armando Guebuza, ex-presidente de Moçambique (Cristiana Soares)
Armando Guebuza, ex-presidente de Moçambique (Cristiana Soares)
Armando Guebuza, ex-presidente de Moçambique
(Cristiana Soares)

Apesar de não ter sido tema de agenda, a sucessão de Armando Emílio Guebuza na presidência da Frelimo está a ser discutida na IV sessão ordinária do Comité Central do partido, que decorre até amanha na cidade da Matola, arredores de Maputo.

Sem ter sido um dos temas previamente agendados para a IV sessão ordinária do Comité Central da Frelimo, reunido na Matola desde quinta-feira, está a ser discutida a sucessão de Armando Guebuza, na presidência do partido no poder em Moçambique.

José Pacheco, membro do Comité Central e chefe da delegação do Governo nas rondas de diálogo com a Renamo, mostra-se surpresa com o debate: “Estamos a fazer a digestão para tomarmos uma posição sobre este assunto”.

Em grupos, pelo terceiro e antepenúltimo dia prossegue a realização da IV sessão ordinária do Comité Central da Frelimo com debates acesos sobre a sucessão de Armando Guebuza. O ex-presidente de Moçambique cumpre um mandato de cinco anos à frente dos destinos do partido Frelimo, mandato iniciado em 2012 quando foi eleito no X Congresso da Frelimo.

A discussão acontece numa altura em que vozes críticas, mesmo dentro do partido, defendem a cedência da liderança da Frelimo para Filipe Nyusi, actual chefe de Estado moçambicano. (rfi.fr)

DEIXE UMA RESPOSTA