“Praias limpas para todos” -Maude Silva

(Maude Silva)
(Maude Silva)
(Maude Silva)

Faço parte da comunidade surfista em Luanda, que tem tentado ao longo dos anos, preservar a praia que mais frequentamos, a cerca de 99km a sul de Luanda, afamada como “Praia do Surfista”, em Cabo Ledo.

Nesta zona não há recolha de lixo e por mais que divulguemos, sensibilizemos os frequentadores da praia, não só dessa praia mas de toda região (Sangano, Queiroz, Surfistas, Quitoba), para terem outras práticas mais ecológicas, amigas do ambiente, não é o suficiente nem resolve o problema em definitivo, porque há sempre novos utentes e não  existe uma entidade que monitorize as praias da zona, que transmita obrigação de se cumprir com o que vier a ser estipulado, como regras, pela entidade reguladora…

Precisamos de ajuda, de intervenção dos organismos devidos.

Esta, era uma das poucas praias, não muito longe de Luanda, limpa e segura (agua sem lixo, nem óleo e o resto da praia também), propícia para praticantes de surf e para as famílias passarem bons momentos.

Hoje, a praia está cheia de lixo, os miúdos locais, pequenos empreendedores (arrecadam receitas com aluguer de barracas), não conseguem dar tratamento ao lixo, por falta de meios.

Será que a Pedreira lá instalada, os resorts da zona como Carpen Diem, Doce Mar e Dona Teo, não têm obrigações ambientais e sociais para com a comunidade local? Afinal, é hora de pensarmos no futuro, e o futuro daquela zona, é o potencial SURF, que em vários países tem arrecadado receitas que vêm a contribuir para o PIB.

por Maude Silva

 

DEIXE UMA RESPOSTA