Portal de moda criado por português vale mil milhões de dólares

José Neves, fundador da Farfetched. (Foto: D.R.)
José Neves, fundador da Farfetched. (Foto: D.R.)
José Neves, fundador da Farfetched.
(Foto: D.R.)

A Farfetch recolheu um novo financiamento de 86 milhões de dólares encabeçado pelo grupo de investimento DST Global. A empresa fundada e dirigida por José Neves emprega mais de 250 pessoas no Porto e em Guimarães.

A Farfetch, empresa de vendas na internet com sede em Londres e escritórios no Porto e em Guimarães, anunciou esta quarta-feira, 4 de Março, ter fechado uma quinta ronda de investimento (“série E”) no valor de 86 milhões de dólares (77,2 milhões de euros), o que aumenta para 195 milhões de dólares (175 milhões de euros) o total recolhido pela empresa fundada em 2008 pelo portuense José Neves, 40 anos.

Este investimento foi liderado pela DST Global, um grupo de investimento criado em 2009 por Yuri Milner, que aposta exclusivamente em empresas ligadas à internet. Nele participaram também outras duas entidades que já tinham entrado em rondas anteriores: a Vitruvian Partners, uma “private equity” independente, e a Conde Nast International, grupo de media que publica revistas como a New Yorker, Vogue e Vanity Fair. Da lista de parceiros anteriores fazem parte a Advent Ventures Partners, a Index Ventures, a Novel TMT e a e.Ventures.

Numa nota de imprensa, a empresa que comercializa artigos de luxo e de designers emergentes nas áreas do têxtil, calçado e acessórios detalha que este novo investimento avalia a Farfetch em mil milhões de dólares (898 milhões de euros), menos de oito anos depois de o portal ter sido lançado em Outubro de 2008. No Parque de Ciência e Tecnologia de Guimarães – AvePark, onde se instalou em Junho de 2010, e no mais recente escritório em Leça da Palmeira, nos arredores da cidade Invicta, trabalham cerca de metade dos 600 funcionários, sobretudo nas áreas da engenharia e desenvolvimento de software, webdesign, serviços financeiros e fotografia.

O segundo maior portal mundial de venda online de artigos de luxo, apenas superado pela também britânica Net-a-Porter, facturou em 2014 perto de 270 milhões de euros, com o maior volume de encomendas a chegar dos Estados Unidos. O investimento agora obtido vai ser usado “especificamente para se focar na expansão internacional”, incluindo a criação de sites em alemão e coreano, a abertura de novos escritórios – além de Porto e Guimarães já está em Londres, Nova Iorque, Los Angeles e São Paulo –, fazer entregas no próprio dia em vários mercados ou desenvolver os programas VIP e de fidelidade para os clientes em 180 países.

Do ZX Spectrum ao “caldeirão” da moda londrina

Nascido no Porto em 1974, José Neves começou a aprender a programar aos 8 anos porque o computador ZX Spectrum, que os pais lhes ofereceram no Natal, não vinha acompanhado de jogos. Interessado em tecnologias e na moda – o avô tinha uma fábrica de sapatos –, ainda estudava na Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) quando criou, com 19 anos, a Grey Matter, que desenhava software para fabricantes de têxteis.

Dois anos depois, em 1996, vai para Londres tentar a sorte no design de sapatos e lança a Swear, a que juntou em 2001 a B Store, que viria a ser distinguida com um “British Fashion Award”. Aos 33 anos, plenamente adaptado à capital britânica, aliou o comércio electrónico e o vestuário de gama alta à ideia de que há artigos que estão muito longe para ir buscar (“far to fetch”) e fundou esta gigante da Internet, que é uma espécie de Amazon da moda de luxo. (jornaldenegocios.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA