Pensar global: Uma em cada 10 startups exporta no ano de arranque

meia.dúzia exporta para a Bélgica, Colômbia, Angola, Alemanha, Áustria, Reino Unido, Polónia, Itália e Espanha. (Foto: Pedro Granadeiro/GI)
meia.dúzia exporta para a Bélgica, Colômbia, Angola, Alemanha, Áustria, Reino Unido, Polónia, Itália e Espanha. (Foto: Pedro Granadeiro/GI)
Meia.dúzia exporta para a Bélgica, Colômbia, Angola, Alemanha, Áustria, Reino Unido, Polónia, Itália e Espanha.
(Foto: Pedro Granadeiro/GI)

De cada 10 startups criadas atualmente em Portugal, uma exporta no primeiro ano de vida. A conclusão é do estudo O Empreendedorismo em Portugal – 2007-2014 feito pela Informa D&B, que analisou startups e jovens empresas nascidas nesse período.

O estudo aponta para uma maior tendência exportadora das empresas recém-criadas e de um aumento do número de negócios individuais e de menor dimensão: 66% dos empreendedores entrevistados está a criar a sua primeira empresa.

perfil dos fazedores portugueses está a evoluir no sentido do aumento do peso das exportações no seu volume de negócios: a percentagem de empresas que exportam no primeiro ano de vida passou de 8% em 2007 para 10% em 2013. Dessas, metade do volume de negócios vem de exportações (em 2013, a percentagem era de 67%, a mais alta desde 2007).

O estudo acrescenta ainda que, no quinto ano de atividade, duplica a taxa de empresas exportadoras.

Entre 2013 e 2014 foram criadas mais de 35 mil empresas das quais 93% são sociedades comerciais. Setores como agricultura, pecuária, pesca e caça(+16%), telecomunicações (+10%) e alojamento e restauração (+4%)são os setores que registaram maior crescimento de nascimentos. Já os negócios ligados à construção e a atividades imobiliárias caíram 9% e 7%, respetivamente.

Em 2013 e 2014, foram criadas mais de 35 mil empresas por ano, um dos valores mais altos desde 2007, onde a quase totalidade (93%) são sociedades comerciais. Em 2013, o volume médio de negócios das startups foi de 74 mil euros e o número médio de empregados foi de 2,1, valores inferiores aos registados em 2007: 86 mil euros e 2,7 empregados, respetivamente.

As empresas criadas há menos de um ano representam 18% do emprego criado em Portugal atualmente. O número aumenta para quase metade (46%) do emprego criado quando falamos em empresas com até cinco anos de vida. (dinheirovivo.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA