Ministro advoga que empresas devem realizar projectos colectivos e individuais

Ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), António Pitra Neto (mapess.gv.ao)
Ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), António Pitra Neto (mapess.gv.ao)
Ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), António Pitra Neto (mapess.gv.ao)

O Ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), António Pitra Neto, advogou, hoje, quinta-feira, que as empresas devem assumir-se como centros de dinamização e realização de projectos públicos ou privados, com benefícios colectivos e individuais e com utilidade geral ou sectorial.

O responsável, que falava durante o seu discurso de abertura no acto de inauguração da ” Unidade de Formação e Gestão de Negócios(UFGN)” da segunda fase do bloco II, afecta a Escola Nacional de Administração (ENAD), frisou que as empresas enquanto organização de imputação de objectivos, interesse e metas econômicas e sociais, devem actuar no quadro da legalidade.

Segundo o ministro, as empresas devem também actuar com dinamismo e criatividade impostas, por um lado, pelos propósitos da sua constituição e por outro, para fazer face às regras e vicissitudes do ambiente competitivo e concorrencial em que se movem.

O titular da pasta do trabalho referiu a necessidade de alicerçar o seu perfil organizacional, o modelo de governação, bem como a sua cultura corporativa no saber estar, no bem fazer e no melhor servir.

“Não podemos nos esquecer que os utentes ou clientes são e serão sempre as pessoas, indivíduos, famílias e comunidades os destinatários finais da acções das empresas e dos serviços administrativos”, elucidou.

António Pitra Neto fez saber que o crescimento individual e colectivo e sociais são também consequências da qualidade de actuações dos serviços públicos administrativos e das empresas, quanto a sua matriz de visão e de valores.

De acordo com o responsável, é importante encontrar como traços de de identidade critérios estruturantes a excelência, rigor, exigência pelos resultados planificados, ética solidária, humanismo, simplicidade no relacionamento, motivação das equipas, conhecimento do geral e a compreensão pelo particular, adaptabilidade as conjunturas e robustez dos desígnios. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA