Madeira: Albuquerque e Freitas admitem coligações

(DR)
(DR)
(DR)

Os dois líderes da Madeira apresentaram as suas propostas ao Diário de Notícias, a uma semana de campanha das eleições regionais da Madeira.

A uma semana de campanha das eleições regionais da Madeira, Miguel Albuquerque, do PSD, e Victor Freitas, cabeça da coligação Mudança (PS, PTP, PAN e MPT) admitem recorrer a coligações pós-eleitorais, se não obtiverem maioria nas eleições do próximo domingo.

Sobre o tipo de apoio que tem recebido por parte do partido nacional, Albuquerque indica que a sua campanha continuará a ser da responsabilidade do PSD Madeira, mas que o “empenho” de Passos Coelho “será determinante” para encontrar as melhores soluções para o arqupélago e para o país.

Já Victor Freitas admite que a presença de António Costa deu a garantia de que contam com o apoio do PS “para resolver o problema do preço dos transportes aéreos” e para reduzir os juros do empréstimo. Mas deixa uma crítica. “Gostava que o líder do PSD viesse à Madeira ver o resultado desastroso da sua política”, aponta a Passos Coelho.

Quando questionado pelo Diário de Notícias, sobre as prioridades caso seja eleito, Miguel Albuquerque revela que irá iniciar de imediato “a constituição de um governo que assuma como prioridade a renovação efetiva da política regional”.

À mesma questão, Freitas responde que o mais importante é começar por “renegociar a dívida e colocar um travão nas políticas de austeridades”. “A governação do PSD resultou numa dívida gigantesca e quer o programa de ajustamento com o Estado quer os empréstimos com a banca foram mal negociados. O único caminho é o da renegociação dos prazos de pagamento, para 30/40 anos, e o da redução das taxas de juro”, indica.

“Precisamos de potenciar a credibilidade das contas públicas regionais”, acrescenta Albuquerque.

Quanto a outras medidas urgentes, Victor Freitas explica que passa pela renegociação das “parcerias público-privadas poupando 160 milhões de euros numa legislatura. Só assim será possível gerar folga financeira”. (noticiasaominuto.com)

DEIXE UMA RESPOSTA