Imprensa europeia vê Brasil paralisado com inquéritos da Lava-Jato no STF

Capa dos jornais europeus: El Pais, Les Echos, Financial Times e Die Zeit desta quinta-feira, 5 de março de 2015
Capa dos jornais europeus: El Pais, Les Echos, Financial Times e Die Zeit desta quinta-feira, 5 de março de 2015
Capa dos jornais europeus: El Pais, Les Echos, Financial Times e Die Zeit desta quinta-feira, 5 de março de 2015

O desdobramento político da Operação Lava-Jato repercute na imprensa europeia. O jornal britânico Financial Times (FT) afirma que o escândalo da Petrobras ameaça inviabilizar as medidas de austeridade adotadas pelo governo.

O influente diário econômico londrino FT informa que o real perdeu 2,2% em relação ao dólar depois da decisão do senador Renan Calheiros (PMDB) de bloquear um importante pacote de medidas fiscais consideradas essenciais para controlar o déficit público.

Na Alemanha, o Die Zeit informa que o pedido da abertura do inquérito contra os políticos aumenta a pressão sobre o governo e os líderes do Congresso já bloqueiam as ações do governo. Segundo Die Zeit, este é o segundo grande escândalo de corrupção nos governos do PT e o caso da Petrobras é mais grave que o do Mensalão. A perspectiva de uma tramitação jurídica longa do caso pode gerar uma paralisia das ações do governo, de acordo com o jornal alemão.

País paralisado

O espanhol El Pais escreve que a entrega da lista de políticos supostamente envolvidos no escândalo provocou um terremoto político no Brasil. Segundo o jornal, observadores temem que as acusações envenenem ainda mais as já complicadas relações do governo com um Congresso ultrafragmentado e sobre o qual a presidente Dilma não tem controle. Tudo isso em um contexto de recessão econômica e um país paralisado.

Em uma nota de 12 linhas, o francês Les Echos informa que as consequências do escândalo para a saúde financeira da Petrobras ficarão mais claras em maio, quando a Petrobras deverá publicar um novo balanço auditado com os prejuízos causados pela corrupção. Pelas informações levantadas até o momento, o esquema teria desviado US$ 4 bilhões da companhia petrolífera. Les Echos relata que o Ministério Público enviou ao Supremo Tribunal Federal pedidos de inquérito envolvendo 54 suspeitos no escândalo de corrupção na Petrobras, inclusive políticos que estão cumprindo mandato. (rfi.fr)

DEIXE UMA RESPOSTA