Governo acompanha situação das empresas portuguesas em Angola

(Foto: D.R.)

 

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Pires de Lima sublinhou que os números das exportações “são muito positivos” independentemente das dificuldades.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse ontem,  segunda-feira, que o Governo está “a acompanhar de perto” a situação das empresas portuguesas em Angola para minimizar o efeito da restrição às exportações para este país.

Pires de Lima sublinhou que os números das exportações “são muito positivos” independentemente das dificuldades das empresas portuguesas em Angola e que o Governo “está a acompanhar de perto, para minimizar o impacto que se vive neste momento num país que ainda têm uma economia muito dependente do petróleo”.

O ministro, que falava após uma visita ao SISAB (Salão Internacional da Alimentação e Bebidas), salientou que as vendas ao estrangeiro bateram recordes em 2014 e que as empresas nacionais exportaram no ano passado quase mais 40% do que se exportava em 2009.

“Em 2015, apesar de algumas situações mais complexas que precisam de ser acompanhadas pelo Governo, como Angola, estou convicto de que a economia portuguesa vai crescer mais ainda”, reforçou, notando que a evolução do euro também ajuda esta dinâmica de exportações.

LUANDA RECEBE EM JUNHO FÓRUM EMPRESARIAL ENTRE PORTUGAL E ANGOLA

O fórum entre empresas de Portugal e de Angola, inicialmente previsto para o primeiro quadrimestre deste ano, vai realizar-se em Luanda no mês de junho, anunciou hoje o ministro da Economia português. Em declarações, em Lisboa, à Rádio Nacional de Angola, António Pires de Lima confirmou a realização deste fórum, anunciado em janeiro passado pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português, Rui Machete, durante uma visita oficial a Luanda. “Nós vamos este ano, em junho, ter em Luanda um fórum empresarial, é algo em que estou a trabalhar também com o senhor ministro da Economia de Angola”, disse Pires de Lima, na declaração emitida hoje pela rádio pública angolana.
(cmjornal.xl.pt)

 

DEIXE UMA RESPOSTA