Governador de Luanda entrega de donativo simbólico para vítimas das chuvas em Viana

Graciano Domingos - Governador da Provincia de Luanda (Foto: António Escrivão)
Graciano Domingos - Governador da Provincia de Luanda (Foto: António Escrivão)
Graciano Domingos – Governador da Provincia de Luanda (Foto: António Escrivão)

Um donativo composto por roupa usada, utensílios domésticos e material de construção, para as vítimas das chuvas em Viana, foi entregue simbolicamente hoje, terça-feira, pelo coordenador da comissão provincial de protecção civil e governador de Luanda, Graciano Domingos, às autoridades locais.

Em declarações à imprensa, em Viana, Graciano Domingos referiu que nos últimos dias se abateram sobre Luanda fortes chuvas que colocaram em risco a vida de muita gente e contribui para que muitas famílias perdessem os seus bens.

Em função disso, disse, a Comissão Provincial de Protecção Civil solicitou o apoio do Governo central e recebeu alguns haveres, que estão a ser distribuídos por todos os municípios, cabendo hoje a entrega simbólica de alguns bens para minimizar o sofrimento dessa população.

O governador enfatizou que a ajuda entregue é ainda uma gota de água no oceano de dificuldades que a população enfrenta, mas fez referência ao dito popular” quem dá o pouco que tem a mais não é obrigado”.

“ Com esse acto, estamos a demonstrar que o Governo está preocupado com o sofrimento da população que foi afectada pelas chuvas e esperamos que nos próximos anos os nossos programas sejam mais estruturados para evitarmos que o sofrimento continue a ter morada entre a população sempre que chova ao nível de Luanda”, frisou.

Na ocasião, o administrador municipal de Viana, Manuel Caterça, realçou que este é um gesto de registo, que se enquadra naquilo que são as obrigações do executivo em acudir as pessoas carenciadas e criar conforto e qualidade de vida aos cidadãos.

Adiantou que a nível do município estão identificadas as pessoas necessitadas, que estão divididas em vários escalões, sendo 500 famílias em situação difícil, mas dessas, 100 famílias são as que mais precisam de ajuda imediata.

“Aproveitamos a ocasião para fazer um apelo aos munícipes de Viana e demais cidadãos, para que ajudem também essa população carenciada, para que possam ter os meios necessários para darem continuidade as suas vidas, uma vez que perderam tudo com as chuvas”, disse.

Adiantou que a administração tem já identificada uma área de aproximadamente quatro hectares que está a ser talhonada, para posteriormente distribuir às pessoas desalojadas pelas chuvas e outras que vivem em zonas de risco.

As fortes chuvas que caíram sobre Luanda no corrente mês provocaram três mortos e desalojaram mais de 400 famílias, além do desabamento de 137 casas. Na sequência, 4.250 residências ficaram inundadas, nomeadamente em Viana, Cazenga, Cacuaco e Belas. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA