França: Marine Le Pen aceita convite para “tomar uns drinks” com Madonna

Marine Le Pen aceita o convite de Madonna. (Reuters/Charles Platiau/ Mario Anzuoni)
Marine Le Pen aceita o convite de Madonna. (Reuters/Charles Platiau/ Mario Anzuoni)
Marine Le Pen aceita o convite de Madonna.
(Reuters/Charles Platiau/ Mario Anzuoni)

A líder da extrema-direita, Marine Le Pen, 46, declarou nesta terça-feira (2) que aceita “tomar uns drinks” com Madonna, 56. O convite foi feito pela popstar ontem durante uma entrevista de Madonna à televisão francesa.

“Aceito com prazer o convite de Madonna”, declarou hoje a líder do Frente Nacional e provável candidata à presidência da França em 2017. Em entrevista à rede de televisão Canal +, Madonna disse que gostaria de “tomar um drink com Marine Le Pen” para ouvir “da sua própria boca” as suas ideias. “Eu desejo a paz mundial. (…) Gostaria de conversar [com Marine Le Pen] e entender em que ela acredita, quais [suas posições] sobre os direitos humanos não apenas na França, mas em todo o mundo. Isso é muito importante para mim”, declarou Madonna ontem. A cantora está em Paris para a promoção do seu novo álbum “Rebel Heart”.

A estrela americana acredita no seu poder de persuasão. “As pessoas têm uma ideia do que eu sou, das minhas lutas. (…) Acredito que, com muita frequência, quando as pessoas bebem comigo, conversam comigo, elas voltam para casa com uma perspectiva diferente”, afirmou.

Rainha da provocação e das polémicas, Madonna lançou, há três anos, um vídeo exibido na sua turnê mundial que exibia uma montagem de Marine Le Pen com uma suástica sobre o rosto ou com um bigode de Hitler. No ano passado, a cantora americana também se disse preocupada com o crescimento da Frente Nacional das pesquisas de intenção de votos dos eleitores franceses.

Mas, na sua aparição na televisão, Madonna hasteou a bandeira da paz. “Talvez eu não tenha entendido Marine Le Pen e, sobretudo, não quero entrar em uma guerra”.

Madonna chora ao encontrar cartoonista do Charlie Hebdo

Durante a participação no programa do Canal +, Madonna também encontrou Luz, cartoonista do Charlie Hebdo. Com lágrimas nos olhos, a cantora deu um longo abraço em Luz e declarou sua solidariedade à redacção do jornal. “Esses indivíduos seguem os passos de outros heróis que morreram para defender seus direitos”.

Madonna também defendeu a liberdade de expressão. “Sempre lutei por isso desde o começo da minha carreira. Sinto uma grande dificuldade quando as pessoas não entendem a intenção das minhas sátiras”. (rfi.fr)

 

DEIXE UMA RESPOSTA