Executivo reafirma contínua melhoria de condições de vida da população

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges. (Foto: Angop)
O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges. (Foto: Angop)
O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.
(Foto: Angop)

O Plano Nacional do Desenvolvimento (PND) 2013-2017 tem como meta a alcançar, nesse perído, continuar a garantir a disponibilidade de água potável, tanto nas zonas urbanas, como nas suburbanas de maior densidade demográfica, em condições ambientais sustentáveis, para a melhoria das condições de vida da população.

O facto foi reafirmado, hoje, sexta-feira, em Luanda, pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, quando falava numa Conferência sobre Água, em alusão ao dia mundial da água que se comemora a 22 de Março.

Com base no Plano, João Baptista Borges disse que o Executivo prevê implementar um programa que estabelece uma adequada política de tarifas, completar à implementação dos Gabinetes de Gestão das Bacias Hidrográficas prioritárias e aprovar e implementar o Plano Nacional da Água.

Actualizar os planos directores de abastecimento de água e saneamento de águas residuais das cidades capitais de província e das sedes municipais, assegurar a reabilitação e expansão dos centros de distribuição e estações de tratamento de água, com vista a garantir o abastecimento a diversas áreas urbanas, peri-urbanas e rurais consta também no PND.

Acrescentou que consta ainda do PND o abastecimento de água à população, projectos de construção e reforço dos sistemas de abastecimento de água e saneamento de 17 cidades capitais de províncias e a construção de novos sistemas de abastecimento de água em 130 sedes municipais do território nacional.

Realçou que o PND para 2013-2017 inicia um novo ciclo da história e experiência do Sistema de Planeamento de Angola. É o primeiro plano de médio prazo elaborado no quadro da nova Constituição do país e após a aprovação da Lei de Bases Gerais do Sistema Nacional de Planeamento.

Adiantou que o Executivo pretende que este documento seja o veículo principal que, à luz da Estratégia Angola 2025, oriente e intensifique o ritmo e a qualidade do desenvolvimento em direcção ao rumo fixado: Aumentar a qualidade de vida do povo angolano de Cabinda ao Cunene, transformando a riqueza potencial que constituem os recursos naturais do país em riqueza real e tangível dos cidadãos.

Salientou que o PND será igualmente um instrumento essencial para que o crescimento da economia angolana seja essencialmente suportado na diversificação da estrutura económica nacional.

Estiveram presentes no acto, a ministra do Ambiente, Fátima Jardim, o director Nacional de Águas, Lucrécio Costa, engenheiros, convidados e funcionários do Ministério da Energia e Águas.

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de Março de 1992.

A grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) está sendo contaminada, poluída e degradada pela acção predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial.

Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objectivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema. (Angop/Expansão)

DEIXE UMA RESPOSTA