EUA: Obama critica Netanyahu e propõe cooperação ao Irão

(Sputnik/ Vladimir Astapkovich)
(Sputnik/ Vladimir Astapkovich)
(Sputnik/ Vladimir Astapkovich)

O tom sem precedentes das declarações de Obama pode significar mudanças radicais na política externa dos Estados Unidos.

Nesta quinta-feira, o presidente dos EUA, Barack Obama, protagonizou mudanças na política externa do seu país. Além de criticar Israel, um dos seus aliados de longa data, por política promovida pelo premiê Netanyahu, dirigiu-se aos líderes e ao povo do Irão com proposta de acordos de paz e cooperação. O tom sem precedentes das declarações de Obama pode significar mudanças radicais na política externa dos Estados Unidos. A administração americana parece disposta a um acordo com Irão, mesmo arriscando pioras nas relações com Israel.

O presidente dos EUA telefonou para o premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, para parabenizar os líder israelita pela vitória nas eleições parlamentares. No entanto, segundo o comunicado da Casa Branca, o tom da conversa não foi nada festivo. Obama reiterou que Estados Unidos apóiam a criação do Estado Palestino, apesar das recentes declarações de Netanyahu de que isso não aconteceria, caso fosse reeleito. Além disso, o presidente americano anunciou estar pronto para um acordo sobre o programa nuclear iraniano com Teerão, criticado em mais de uma ocasião por Netanyahu. Obama deixou de mencionar os interesses políticos comuns com Israel, praxe em declarações formais. O presidente dos EUA somente mencionou a cooperação na área de segurança.

Segundo uma fonte anónima na Casa Branca, a conversa foi tensa e líder americano chegou a ameaçar Netanyahu com a revisão de toda a política americana no Oriente Médio.

Logo após conversa com Netanyahu, Obama emitiu comunicado aos líderes e ao povo do Irão, por ocasião da tradicional festa da primavera, Noruz. Além das formalidades tradicionais, Obama convocou a opinião pública iraniana a colaborar com a assinatura mais breve possível do acordo sobre o programa nuclear.

“As próximas semanas serão de importância crítica. Os nossos negociadores alcançaram progresso, mas ainda há lacunas. Tanto nos nossos países, como no exterior, há pessoas que se posicionam contra uma solução diplomática. Eu gostaria de comunicar a vocês, povo do Irão, que juntos podemos buscar um futuro que desejamos” adicionou o presidente dos EUA. (sputniknews.com)

DEIXE UMA RESPOSTA