Equipe de reality show retorna à França após tragédia na Argentina

O patinador Philippe Candeloro no desembarque em Paris (Foto de Dominique Faget/AFP)
O patinador Philippe Candeloro no desembarque em Paris (Foto de Dominique Faget/AFP)
O patinador Philippe Candeloro no desembarque em Paris (Foto de Dominique Faget/AFP)

A equipe do reality show “Dropped” retornou para a França neste sábado, cinco dias depois do acidente com dois helicópteros na Argentina que matou 10 pessoas, incluindo três atletas franceses muito importantes.

O avião com os 27 franceses do programa “Dropped”, incluindo quatro atletas e funcionários da equipe, pousou no aeroporto parisiense Charles de Gaulle no fim da manhã.

Eles devem ser recebidos por executivos do canal TF1, que exibiria “Dropped”, e receberão auxílio de uma equipe de psicólogos se desejarem.

O acidente na segunda-feira em Villa Castelli, província de La Rioja (noroeste da Argentina), deixou a França em estado de choque.

A tragédia matou os dois pilotos argentinos e oito franceses, incluindo a velejadora veterana Florence Arthaud, a nadadora Camille Muffat, campeã olímpica em Londres-2012, e o boxeador Alexis Vastine, medalhista de bronze em Pequim-2008.

A semana foi “muito longa”, declarou o patinador artístico Philippe Candeloro à imprensa antes do embarque em Buenos Aires. Ao lado dele retornaram para a França o nadador Alain Bernard, a ex-ciclista Jeannie Longo e Anne-Flore Marxer, atleta de snowboard.

“Eu sei que vocês esperam notícias, mas por respeito às famílias das vítimas preferimos não expor mais os nossos sentimentos”, disse Candeloro.

Antes de viajar, os participantes e a equipe de “Dropped” prestaram depoimento na quinta-feira ao juiz argentino Daniel Herrera, que comanda a investigação.

À espera do fim da análise dos destroços dos helicópteros, os especialistas aeronáuticos consultados pela AFP destacaram a possibilidade de erro dos pilotos.

O acidente deflagrou polémica pelo uso inadequado de uma das aeronaves envolvidas na tragédia.

Lideranças políticas denunciaram que um dos helicópteros foi adquirido pelo governo de La Rioja (noroeste) para uso da Secretaria de Saúde e que sua utilização comercial não estava autorizada. (afp.com)

DEIXE UMA RESPOSTA