Egipto enforca primeiro partidário de Mursi condenado por violência

Homem é ferido durante protesto em frente ao tribunal do Cairo (Foto de STR/AFP)
Homem é ferido durante protesto em frente ao tribunal do Cairo (Foto de STR/AFP)
Homem é ferido durante protesto em frente ao tribunal do Cairo (Foto de STR/AFP)

O Egipto enforcou neste sábado pela primeira vez um partidário do presidente islamita deposto Mohamed Mursi, que havia sido condenado por actos violentos em Alexandria (norte), declarou à AFP o porta-voz do ministério do Interior, Hani Abdel Latif.

Mahmud Ramadan é “o primeiro a ser executado no contexto das manifestações de partidários de Mursi”, disse Hani Abdel Latif.

Ramadan foi enforcado às 07H00 (02h00 no horário de Brasília).

Um tribunal de Alexandria condenou à morte em 2014 Mahmud Ramadan e outro manifestante por terem jogado jovens do topo de um edifício, matando um deles.

Os dois foram julgados com um grupo de 63 partidários de Mursi por participar em manifestações e actos de violência cometidos em 5 de Julho de 2013 em um subúrbio de Alexandria.

Desde que o ex-chefe do exército e actual presidente Abdel Fattah al-Sissi depôs Mursi, em Julho de 2013, as autoridades lançaram uma sangrenta repressão contra seus apoiantes, o que deixou pelo menos 1.400 mortos.

As autoridades são acusadas de instrumentalizar a justiça. Centenas de partidários de Mursi foram condenados à morte em julgamentos sumários de massa, e outros 15.000 foram presos.

Mursi e quase todos os líderes da Irmandade Muçulmana estão sendo julgados ou têm acções judiciais em trâmite. O presidente poderá enfrentar a pena de morte em quatro destes processos. (afp.com)

 

DEIXE UMA RESPOSTA