Discurso do Presidente José Eduardo dos Santos na visita a Angola de Denis Sassou N’guesso

Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos (Foto: Angop)
Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos (Foto: Angop)
Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos (Foto: Angop)

ÍNTEGRA DO DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, POR OCASIÃO DA VISITA OFICIAL DE SUA EXCELÊNCIA DENIS SASSOU N’GUESSO, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DO CONGO-BRAZZAVILLE

SUA EXCELÊNCIA DENIS SASSOU N’GUESSO,
PRESIDENTE DA REPÚBLICA DO CONGO,
DISTINTOS MEMBROS DA DELEGAÇÃO CONGOLESA E DA DELEGAÇÃO ANGOLANA,
MINHAS SENHORAS E MEUS SENHORES,

É sempre com enorme prazer que o Governo e o Povo angolano recebem Vossa Excelência e Caro Irmão no nosso país. Esta sua visita vai permitir reforçar os tradicionais laços de fraternidade, solidariedade e cooperação que desde há seculos unem os nossos dois povos.

A presença de Vossa Excelência entre nós não pode, por isso, deixar de evocar a história comum e o passado recente de grandes sacrifícios consentidos pelo Povo congolês para apoiar o Povo angolano durante a sua Luta de Libertação contra o colonialismo e pela Independência Nacional.

Foi, de facto, um período inesquecível da nossa História comum, que as gerações vindouras irão recordar com orgulho. Tivemos a ousadia e a coragem de enfrentar um inimigo poderoso, porque tínhamos do nossa lado a razão e a certeza de que lutávamos pela dignidade dos nossos povos e do Continente africano.

Quando foi necessário, também Angola esteve ao lado do povo congolês para apoiá-lo na luta contra as ingerências externas e no restabelecimento da paz e da estabilidade. Hoje os nossos dois países trilham os caminhos da soberania plena e almejam atingir o desenvolvimento que proporcione bem-estar, felicidade, paz e segurança a todos os cidadãos.

São estes objectivos, aliados à confiança recíproca que soubemos construir, que nos motivam a incrementar a nossa cooperação bilateral. Saudamos a realização da Comissão Mista e os acordos que vão ser assinados por ocasião da visita de Vossa Excelência nos domínios da Defesa, dos transportes fluvial e marítimo, do comércio transfronteiriço e da supressão de vistos nos passaportes diplomáticos e de serviço.

Sugerimos o reforço e aperfeiçoamento das regras que regem a circulação de pessoas e bens, por forma a disciplinar mais o comércio na zona transfronteiriça e assegurar o contacto regular entre as estruturas administrativas dos dois países. Também é importante que se criem mecanismos de gestão e acompanhamento dos compromissos assumidos pelos nossos Governos no âmbito da cooperação bilateral e das consultas diplomáticas.

Por outro lado, devemos trabalhar juntos para evitar a imigração ilegal e prevenir as suas consequências nefastas, através da estrita aplicação dos instrumentos bilaterais existentes e do reforço dos mecanismos de controlo dos dois países.

SENHOR PRESIDENTE,

Congratulamo-nos com os resultados positivos que o Congo tem conhecido sob a vossa liderança nos mais distintos domínios da vida nacional, entre os quais são dignos de menção o índice de crescimento económico, que propicia melhores pespectivas de vida e de bem-estar para o Povo congolês.

A consolidação do vosso desenvolvimento e do vosso sistema democrático constituem também um contributo valioso para a paz e para a estabilidade regional e sub-regional. Neste contexto, felicito Vossa Excelência pelo papel que tem desempenhado na mediação entre as partes do conflito que existe na República Centro-Africana, visando criar um quadro favorável ao restabelecimento da paz e da reconciliação.

Pode continuar a contar com o apoio de Angola no cumprimento desta missão. Na verdade, Angola e a República do Congo têm o dever moral, por razões históricas, de desenvolver todos os esforços ao seu alcance para que o nosso Continente, de um modo geral, entre numa era de paz, estabilidade, progresso e bem-estar dos seus povos.

Desejamos continuar a trabalhar juntos neste sentido, ao mesmo tempo que reforçamos a cooperação económica, científica e cultural no plano bilateral. Reitero os votos de boas-vindas e desejo a Vossa Excelência e à Delegação que o acompanha uma agradável estadia em Angola. (portalangop.co.ao)

1 COMENTÁRIO

  1. É um discurso de Estadista sem dúvida, bastante experiente que soube sempre resumir-se ao que é fundamental e sempre chamou a minha atenção. No compromisso de ser líder dum povo na sua complexa diversidade, é extremamente complexo o ensejo de manter vital a experiência numa toda certeza alinhada, desde que a perfeita vontade dirija o seu povo com sabedoria refletindo os atos, Vossa Excelência estará sempre do lado do Deus Omnipresente, Omnipotente e Omnisciente. Desejo a Vossa Excelência e a equipe de conselheiros de sucessos que o acompanha na Sua missão, longevidade, saúde agradável,felicidade e consideração atenciosa aos problemas do povo em geral, o que é sempre o mais importante na sua agenda de resoluções. Obrigado. Perfeito M. Bogarte, – Cabinda -.

DEIXE UMA RESPOSTA