Diálogo considerado fundamental no combate à violência doméstica

Participantes do workshop (Foto: joaquina Bento)
Participantes do workshop (Foto: joaquina Bento)
Participantes do workshop (Foto: joaquina Bento)

A presidente da Associação Angolana de Mulheres das Carreiras Jurídicas, Solange Machado, considerou, nesta segunda-feira, em Luanda, que o diálogo é fundamental no combate à violência doméstica.

Em declarações à Angop, à margem do Workshop Sobre a Actuação da Comunicação Social no Combate à Violência Doméstica, realizado pela Direcção Nacional para os Direitos da Mulher do Ministério da Família e Promoção da Mulher em parceria com o Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), Solange Machado, sublinhou que muitas das vezes a falta de diálogo origina o conflito.

“O diálogo é bastante importante para as relações entre as pessoas, porque quando não há diálogo cada um faz o que quer e depois isso gera violência doméstica, porque cada um tem uma determinada atitude”, disse

Acrescentou que a Associação Angolana de Mulheres das Carreiras Jurídicas tem estado a desenvolver várias acções como palestras e workshops com vista a divulgar mais a “lei contra a violência doméstica e todas as outras para que as pessoas tenham conhecimento e possam reivindicar os seus direitos”.

Por seu turno, o director do Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), Joaquim Paulo, defendeu a necessidade de ter em conta alguns aspectos éticos e profissionais ao abordar-se matérias ligadas a violência doméstica.

Considerou que à violência doméstica corresponde sempre a anormalidade do funcionamento das sociedades no convívio social.

“Há alguns aspectos éticos e profissionais que nós, enquanto formadores de opinião e veiculadores de opinião, devemos nos acautelar no combate à violência doméstica. Não quer dizer que não façamos a denúncia, educação cívica bem como a denúncia dos agressores”, sublinhou.

O evento teve como objectivo capacitar os jornalistas para o reforço do combate à violência doméstica e contou com a participação de jornalistas, estudantes, entre outros. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA