Defendida conjugação de esforços para alcance dos objectivos da CIRGL

Dias da Silva - Director do Mirex Para os Grandes Lagos (Foto: Lino Guimaraes)
Dias da Silva - Director do Mirex Para os Grandes Lagos (Foto: Lino Guimaraes)
Dias da Silva – Director do Mirex Para os Grandes Lagos (Foto: Lino Guimaraes)

A conjugação de esforços entre os distintos estados membros da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) foi defendida hoje, terça-feira, em Luanda, pelo coordenador nacional para a organização, Evaristo da Silva.

Intervindo na sessão de abertura do encontro de Coordenadores Nacionais da organização, que durante o dia irá preparar a X Reunião do Comité Interministerial Regional da CIRGL, Evaristo da Silva, defendeu este posicionamento para que a organização funcione na sua plenitude e os esforços realizados, quer pela actual presidência como as que sucederem, possam alcançar os êxitos desejados.

Na presença de distintos coordenadores nacionais dos países que integram a organização, acrescentou que há ainda um longo caminho a percorrer para transformar a região num espaço estável e de prosperidade com vista o bem estar dos respectivos povos.

Neste sentido, disse, “sabemos que a instabilidade permanece em países irmãos como a RDC e Sudão do Sul, RCA, entre outros”.

Para o coordenador nacional angolano, a reunião decorre num momento importante porque servirá para ter uma ideia do nível de execução das tarefas programadas para 2014, bem como definir novas acções para o presente ano.

De igual modo, manifestou a sua apreensão pelo facto de existir um Plano de

Acção cuja implementação está condicionada por questões financeiras, uma vez que apenas alguns Estados membros têm honrado com o compromisso de liquidação atempada das suas contribuições.

Os trabalhos servirão para análise do Relatório do Secretário Executivo sobre a implementação do Pacto desde a última reunião do Coordenadores Nacionais, Informação actualizada dos países membros sobre a implementação do mesmo, Apresentação e análises do Plano de Acção da CIRGL para 2015, Análises das Contribuições dos países membros ao orçamento da organização, Análises do Plano de Acção para o Recrutamento de um novo Secretário Executivo da CIRGL para o período 2016-2019, entre outros assuntos.

A República de Angola, através do seu Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, assume, desde o dia 15 de Janeiro de 2014, a presidência rotativa da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos.

A CIRGL foi criada após os conflitos políticos que marcaram a região dos Grandes Lagos, em 1994, cujo resultado marcou o reconhecimento da sua dimensão e a necessidade de um esforço concentrado com vista a promoção da paz e do desenvolvimento na região.

Angola, Burundi, República Centro Africana (RCA), República do Congo, República Democrática do Congo (RDC), Quénia, Uganda, Rwanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e a Zâmbia integram este órgão regional. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA