Cuando Cubango: Dirigente do MPLA destaca feitos da Batalha do Cuito Cuanavale

Primeiro secretário do MPLA no Cuando Cubango, Higino Carneiro (Foto: Pedro Parente)
Primeiro secretário do MPLA no Cuando Cubango, Higino Carneiro (Foto: Pedro Parente)
Primeiro secretário do MPLA no Cuando Cubango, Higino Carneiro (Foto: Pedro Parente)

O primeiro secretário do MPLA no Cuando Cubango, Higino Carneiro, disse hoje, quarta-feira, nesta cidade, que os jovens e até os mais velhos devem conhecer, de facto, os feitos da Batalha do Cuito Cuanavale, ocorrida entre 1987 – 1988, tendo em conta a sua dimensão histórica.

O político fez este pronunciamento na abertura da VI reunião ordinária do MPLA que, a par de outros assuntos, está analisar a circular nº 01/SBP/2015 sobre a divulgação das teses e resolução do V Congresso Extraordinário do partido.

“Ontem celebramos o XXVII aniversário da Batalha do Cuito Cuanavale. Quisemos uma vez mais este ano homenagear os combatentes e a população que heroicamente se bateram e derrotaram as forças da então África do Sul e mudaram a situação na África Austral”, lembrou o responsável.

Sublinhou ainda que, a 22 de Dezembro de 1988 assinaram-se os acordos de Nova Iorque, as Nações Unidas aprovaram a resolução 435 e a Namíbia tornou-se independente, o Apartheid da África do Sul sucumbiu, Nelson Mandela foi libertado, a África do Sul foi democratizada e com brilhante vitória criaram-se condições para a derrota das forças da Unita.

Segundo Higino Carneiro, a celebração dos acordos de paz de Bicesse, o protocolo de Lusaka e o Memorando Complementar do Protocolo de Lusaka no Luena, província do Moxico, e instauração da paz definitiva do país, fazem parte histórica desta batalha.

“Actos do género devem ser realizados todos os anos. Os nossos jovens e mesmo os mais velhos devem conhecer o que de facto aconteceu. O exemplo dado pelos militares e a população residente devem orgulhar as populações do Cuando Cubango. Ontem, na verdade, realizamos mais uma jornada patriótica”, destacou.

Higino Carneiro disse este exemplo dado de tenacidade é na verdade o reeditar dos diferentes feitos realizados pelos antigos combatentes e veteranos da pátria, que desde a fundação do MPLA lutaram nas várias frentes de luta e de combate até a conquista da Independência de Angola, a 11 de Novembro de 1975.

Afirmou que ainda hoje o governo continua a bater-se pela regularização da situação de muitos combatentes, por tratar-se de um processo que deve terminar com a intervenção directa dos administradores municipais e com o acompanhamento do partido, um acto que merecerá uma atenção pormenorizada com a realização de uma reunião com a direcção dos antigos combatentes e veteranos da pátria a nível local. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA