Comunidade angolana considera eficaz serviço consular na Namíbia

Jacob Isaac, representante da comunidade angolana na Namíbia (Foto: Pedro Parente)
Jacob Isaac, representante da comunidade angolana na Namíbia (Foto: Pedro Parente)
Jacob Isaac, representante da comunidade angolana na Namíbia (Foto: Pedro Parente)

O representante da comunidade angolana na República da Namíbia Jacob Isaac enalteceu hoje a assistência prestada pela embaixada, considerando eficaz o trabalho dos serviços consulares, mormente em relação aos registos de nascimento.

Em declarações hoje à Angop, na capital Namibiana, afirmou que os registos são feitos sem nenhum impedimento pelos serviços consulares, ajudando no controlo total dos angolanos, cujo número estimou em meio milhão de residentes.

Daquele número referiu que constam famílias estabelecidas desde o tempo colonial, assim como na sequência da guerra civil ocorrida em Angola, tendo dito que a maior parte dos seus compatriotas vivem nas cidades de Oshakati e Rundu.

Ao fazer uma reflexão sobre o passado e o presente, afirmou que o modo de vida dos angolanos vai melhorando de forma progressiva, considerando que actualmente os ânimos são diferentes, dada a acentuada melhoria.

Jacob Isaac, de 74 anos de idade, emigrou para Namíbia devido ao conflito interno angolano pós-independência (1975). Natural do Huambo, vive na Namíbia há 40 anos.

A República da Namíbia celebra sábado, dia 21 de Março, 25 anos de independência, e, simultaneamente, terá lugar a investidura do novo presidente Hage Geingob, fruto das eleições realizadas pela quinta vez na história deste país da África austral.

Para estas cerimónias, marcadas para o estádio Nacional da Independência, foram convidados chefes de estados e de governos dos países membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) bem como de outras regiões do continente africano.

O candidato da SWAPO, partido no poder na Namíbia, Hage Geingob, que sucederá o actual Chefe de Estado namibiano, Hifikepunye Pohamba, foi declarado vencedor do escrutínio presidencial com 772 mil e 528 votos, correspondentes a 77,16 % dos votos, de acordo com os resultados oficiais anunciados pela Comissão Nacional Eleitoral (ENC).

A Namíbia tornou-se independente da África do Sul em 21 de Março de 1990. No dia 22 de Novembro de 1988 a África do Sul assinava acordo nas Nações Unidas, concedendo a independência à última colónia em África, a qual era conhecida na época como África do Sudoeste.

Em Novembro de 1989 são realizadas eleições parlamentares sob supervisão da ONU. Sam Nujoma, líder da Swapo, é eleito presidente.

A Namíbia é um país membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), da União Africana (UA) e da Commonwealth. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA