Comandante defende maior solidariedade em questões de salvamento

Comandante António Vicente jimbi (Foto: Henri Celso)
 Comandante António Vicente jimbi (Foto: Henri Celso)

Comandante António Vicente jimbi (Foto: Henri Celso)

O comandante nacional de protecção civil e bombeiros, António Vicente Jimbi, defendeu hoje, terça-feira, em Luanda, maior solidariedade dos cidadãos em situação de ajuda em caso de acidente, para que os sinistrados possam sair vivos e receberem tratamento médico o mais rapidamente possível.

O comandante defendeu esta posição na abertura do ciclo de formação de estudantes socorristas, realizado no Instituto Médio Industrial de Luanda, numa parceria da Associação dos Estudantes da Província de Luanda.

Segundo António Jimbi, nos últimos tempos é visível ver no país pessoas fotografarem para colocarem nas redes sociais, deixando de prestar socorro aos aflitos.

De acordo com o responsável, o socorrista deve ter algum conhecimento de protecção civil para não criar outras situações desagradáveis. Por exemplo, em situações de aflição aonde existe multidões é preciso definir-se rapidamente quem vai sair primeiro do recinto e o último, para não se registar problema de pânico.

Acrescentou que numa situação de acidente é preciso que haja destreza, concentração, mas para isto devem ter o treinamento para saberem agir em situações do género.

Disse ainda que é preciso ver os tipos de cidades que se pretendem construir para o futuro, qualificar o material a ser usado para o efeito, fazendo uma planificação urbana rigorosa e estudos dos solos, para se obter centralidades seguras, contribuindo assim para a protecção civil.

Por seu turno, o presidente da Associação dos Estudantes da Província de Luanda, Hélder Silva, disse que esta formação tem como objectivo a expansão de conhecimentos técnicos de protecção civil, nas escolas do II ciclo e ensino médio, tendo em conta a necessidade de se ter socorristas nos locais onde contém aglomerado de pessoas.

Hélder Silva espera que este curso possa incentivar os estudantes a optarem por este ramo futuramente depois da sua formação média ou superior, por precisar do contributo de todos os angolanos.

O ciclo de formação vai decorrer até Setembro próximo e participam delegados de turma, sub-delegados e chefes de limpeza. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA