Chelsea-PSG. David (e Thiago) contra Golias e bye bye Mourinho

David Luiz festeja o golo marcado à anterior equipa (Alastair Grant/AP)
 David Luiz festeja o golo marcado à anterior equipa (Alastair Grant/AP)
David Luiz festeja o golo marcado à anterior equipa
(Alastair Grant/AP)

Eliminado pela quarta vez seguida em casa num jogo em que joga hora e meia contra dez (Ibrahimovic expulso aos 31’) e deixa-se empatar duas vezes, a última delas aos 114’.

Ponto a favor: Mourinho acumula 12 jogos sem perder nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Ponto contra: Mourinho é eliminado sem perder na Liga dos Campeões 2014-15, pelo PSG, em casa e a jogar contra dez a partir dos 31’. Salut PSG, eles bem merecem a festa em Stamford Bridge ao fim dos 120 minutos. O dois-dois é um hino ao futebol de resistência, do querer. E nem começa bem.
Minuto 31, PSG e Chelsea adormecem milhares em Stamford Bridge e milhões pelo mundo fora com futebol-chiclete, de mastigar e deitar fora. Fraco fraco muito fraco. Parece o RFA-Áustria do Mundial-82 em que as duas equipas jogam (e assobiam) para o lado no intuito de impedir a qualificação da Argélia para a segunda fase. Problema em Londres: não há um terceiro elemento em discussão._“Aquilo” ali é entre Chelsea ou PSG. Só um se qualifica. E a vantagem é do Chelsea, via empate com golos (1-1) no Parc há três semanas.
Mastigado, chiclete, zero de futebol. E quase zero de emoção._Salvam-se os encontrões de Diego_Costa em David Luiz, seguidos de olhares e diálogos de cortar à faca. Spoiler alert, os dois não vão ser expulsos. Isto vai doer. Aliás, o minuto 4 já explica muita coisa de chutos e pontapés e é o capitão parisiense Thiago_Silva a dar o mote. Sem qualquer falta na liga francesa nos sete jogos deste ano de 2015, o central atropela Óscar. Uh la la, lá se vai o encanto.
Aos 31’, Ibrahimovic escorrega sobre o mesmo Óscar e o árbitro holandês Björn Kuipers nem duvida em mostrar-lhe o cartão vermelho directo. É expulso pela quarta vez na Liga dos Campeões. Ibra que é teimoso. E iguala Davids no topo dos mais indisciplinados na competição. Curiosamente, ambos jogam no Ajax. E na Juventus. E no Milan. E no Inter. E (uff) no Barça. Olha que dois. Bem visto o lance, Ibrahimovic entra a derrapar e encolhe-se. Ou seja, não quer acertar em Óscar (muito menos magoar). O árbitro não vê assim (como também não vê um penálti de Cavani sobre Diego_Costa aos 42’) e desequilibra a balança. Ou talvez não. Afinal, Ibra é um poço sem fundo de impotência no confronto com Mou, por ele treinado no Inter em 2008-09._E porquê? Em sete jogos, nem um golo ou assistência._E remates? Treze, só quatro à baliza._E faltas? Sete sofridas e dezasseis cometidas. Com esta, dezassete.
Dizíamos nós, dez contra onze para o Chelsea e nem assim a balança está a pender para a equipa de Mourinho – eles sentem-se mais confortáveis na situação inversa, a de jogar em desvantagem._E isso é tão notório na segunda parte em que o PSG, já de cabeça fria, pós-Ibra, quer mais que o Chelsea, a quem o 0-0 lhe chega para seguir em frente. Prova desse querer, o PSG acerca-se da baliza de Courtois aos 58’ num rápido contra-ataque concluído por Cavani ao poste, depois de ultrapassar o guarda-redes com uma bela dança.
O Chelsea não reage, limita-se a passar o tempo e não é que marca? Aos 80’, Willian abre para Ramires e o remate do brasileiro é desviado por Sirigu. Acto contínuo, canto para Fàbregas, bola para o meio, falha um (Thiago), falha outro (Diego) e Cahill acerta bem na bola, 1-0.
Faltam nove minutos. Terá força o PSG para igualar a eliminatória? David Luiz abana a cabeça. E de que forma. A sua entrada na grande área é autoritária e o cabeceamento uma autêntica marrada._A bola bate na trave e entra. Courtois nem a vê. É o 1-1 aos 86’, é a alegria de David Luiz (ex-Chelsea), é emoção extra por meia-hora. Aí vamos nós.
Entra Drogba (happy birthday to you) e o_Chelsea nem precisa de fazer muito para voltar a estar em vantagem. Basta uma mão inocente de Thiago Silva. O dois-caras, certinho da liga (de França) e malvado da Liga (dos Campeões), assusta-se com Zouma e faz penálti. Ninguém contesta. Na cobrança, Hazard engana Sirigu com a classe que se impõe.
Voltamos ao_David contra Golias. E é mesmo_David (Luiz) quem assusta com um forte livre directo aos 101’. Courtois desvia a folha seca por cima da trave. Que espectáculo, o PSG não desiste. Pois não, daí que assine o 2-2 aos 104’ por Thiago_Silva. Limpa a imagem daquele penálti com um cabeceamento folha seca. Bola extra: Thiago obrigara Courtois à defesa da noite uns 21 segundos antes, mais coisa menos coisa. Poing.
É a segunda humilhação do ano, depois do 4-2 do Bradford para a Taça de Inglaterra. E é a quarta eliminação europeia seguida de Mourinho em casa, depois de Bayern em 2012, Dortmund em 2013 e Atlético em 2014. (ionline.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA