Bié: Docente defende apetrechamento da biblioteca universitária

Interior da biblioteca da ESP/Bié, no Cuito (Foto: LEONARDO CASTRO)
 Interior da biblioteca da ESP/Bié, no Cuito (Foto: LEONARDO CASTRO)

Interior da biblioteca da ESP/Bié, no Cuito (Foto: LEONARDO CASTRO)

O docente universitário da Escola Superior Pedagógica do Bié, Aristides Jaime Cambuta Yandelela, defendeu nesta quinta-feira, na cidade do Cuito, a necessidade do apetrechamento da biblioteca da instituição, a fim de facilitar a pesquisa por parte dos estudantes e professores.

Em declarações à Angop, o académico sublinhou que, apesar de existirem já livros, continua a não oferece as condições necessárias para que os estudantes possam realizar pesquisas, um dos instrumentos fundamentais no ensino universitário.

A melhoria das condições na biblioteca da escola vai permitir com que os estudantes se mantenham mais tempo na instituição, aprimorando, deste modo, os conhecimentos didáticos, sobretudo aqueles em fase final da formação (4º ano).

Constitui igualmente inquietação da instituição, disse a fonte, a insuficiência de literatura sobre os métodos de investigação, salientando facto que obriga os estudantes a socorrem-se a Internet (Web).

“É nos livros onde está a verdadeira essência de investigação científica e sobretudo desenvolve o hábito de leitura e consequente a capacidade linguística no ponto de vista do vocabulário”, disse.

A Escola Superior Pedagógica do Bié matriculou este ano mais de 500 novos estudantes nas especialidades de Matemática, Geografia, Física, Psicologia, Educação Primária e Pré-escolar, Biologia, Educação Física e Desportos.

Estão disponíveis na biblioteca da Escola Superior Pedagógica do Bié dois mil e oitenta livros diversas, investimento realizado pela instituição para facilitar a investigação científica dos estudantes.

Criada em 2005, no âmbito do programa de expansão do ensino superior no país, a Escola Superior Pedagógica no Bié, afecta a Universidade José Eduardo dos Santos, já formou mais de 170 licenciados em distintas áreas da educação.

A instituição controla mais de dois mil estudantes e tem 87 professores entre angolanos e estrangeiros. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA