Benguela: Governador defende alargamento da estrada nacional número 100

Isaac dos Anjos - Governador Provincial de Benguela (Foto: Rosário Miranda)
Isaac dos Anjos - Governador Provincial de Benguela (Foto: Rosário Miranda)
Isaac dos Anjos – Governador Provincial de Benguela (Foto: Rosário Miranda)

O governador de Benguela, Isaac Maria dos Anjos, manifestou hoje, sábado, a necessidade do alargamento da estrada nacional número 100, no troço Sumbe/Benguela, com vista a melhoria do fluxo de circulação rodoviária e ver reduzidos os índices preocupantes de sinistralidade daí decorrente.

Esse desejo foi apresentado ao ministro da Construção, Waldemar Pires Alexandre, durante um encontro de trabalho de cerca de duas horas na sede do Governo de Benguela.

À imprensa, após a reunião de trabalhos, Isaac dos Anjos disse ter transmitido as preocupações da província e verificou que o titular da Construção tomou em consideração as questões levantadas, mormente a plataforma da estrada número 100, já que Benguela recebe trânsito muito pesado, em função do fluxo rodoviário que passa no sentido Sul/Norte e vice-versa, bem como do litoral para o interior e sentido inverso.

Por esse motivo, disse, justifica-se que haja uma tendência de se ter nesta região estradas mais degradadas do que em outros troços, tendo para o efeito encorajado o ministério da Construção para a sua melhoria.

Desejando coragem e determinação aos quadros da Construção, frisou que “a parte essencial está feita, a viabilidade do país, agora, a partir dessa viabilização do país vamos fazendo coisas melhores”.

Deu a conhecer que, durante o encontro com o ministro da Construção foram abordadas, a questão da seca e algumas bolsas de sub-desenvolvimento, que requer vias de acesso para facilitar a mobilidade das pessoas, principalmente nas zonas entre Chongoroi/Cacimbas/Camucuio/Bibala – uma zona atrasada desde a era colonial.

Segundo Isaac dos Anjos, seria interessante tratar-se das ligações viárias entre essas localidades triangulares, considerando zona de transição para a área planáltica, nomeadamente o troço Caluquembe/Ganda e, Ganda/Balombo.

“Uma cordilheira de transição com grande densidade populacional, sobre a qual foi solicitada a compreensão do ministério da Construção, tendo em conta as especificidades mais recentes resultantes da guerra civil, que dividiu a população”, referiu acrescentado haver necessidade de melhorar as vias de circulação para desanuviar os ânimos no âmbito da reconciliação nacional.

Pela província de Benguela passam quatro estradas nacionais, nomeadamente Cuanza Sul/Benguela/Namibe (EN 100), Benguela/Huila (EN 105), Lobito/Bocoio/Balombo (EN 250) e Lobito/Catengue/Cubal/Ganda (EN 260), todas servidas de malha asfáltica. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA