Aterro sanitário recebe mais de sete mil toneladas de resíduos por dia

Aterro Sanitario (Foto: Angop)
Aterro Sanitario (Foto: Angop)
Aterro Sanitario (Foto: Angop)

O Aterro Sanitário dos Mulenvos, no município de Viana, em Luanda, recebe, por dia, umas sete mil e 200 toneladas de resíduos sólidos, contra as duas mil e 500 previstas no início da sua concepção – anunciou o gerente operacional do local, Yuri Conselvan.

Em declarações à Angop, o responsável apontou o êxodo rural, expansão urbana e os maus hábitos no manuseamento dos detritos como razões para a disparidade entre o número previsto e a quantidade de lixo que se deposita no aterro

Indicou que os resíduos domésticos, comerciais, hospitalares e da indústria de construção, entre outros, são os mais transportados pelas operadoras e microempresas de limpeza da província de Luanda para o aterro diariamente.

Para o tratamento do lixo, explicou que, após a deposição dos resíduos, ocorre o processo de isolamento do gás metano (CH4), que é 21 vezes mais prejudicial à saúde humana que o dióxido de carbono (CO2).

Destacou a produção e colecta de gás, emissões fugitivas e a queima de resíduos como os principais serviços que o aterro exerce.

O Aterro Sanitário dos Mulenvos é considerado o maior de África, por possuir uma área de 270 hectares e sete camadas com sete metros de altura. Foi inaugurado no dia 14 de Dezembro de 2007, pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Conta com 225 funcionários, dos quais 210 nacionais e 15 expatriados. O seu tempo de vida útil está projectado para 2030. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA