António Costa Governo desperdiçou “metade da vida ativa” da sua geração

(LUSA)
(LUSA)
(LUSA)

O líder socialista lastimou hoje os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a contração da economia portuguesa, exemplificando com o recuo a níveis de há 15 anos, “metade da vida ativa” da sua geração de cidadãos.

“Em matéria de criação de riqueza, nós dizíamos que tínhamos recuado uma década, mas com os números ontem (sexta-feira) revelados pelo INE, sobre a brutalidade da recessão em 2012 e em 2013, nós não recuamos uma década, recuamos 15 anos”, disse António Costa, perante uma plateia de jovens, na Cidade Universitária, em Lisboa.

Segundo o INE, em 2012, o Produto Interno Bruto (PIB) real baixou 4% – a recessão mais profunda alguma vez registada, enquanto o défice orçamental de 2014 se situou em 4,5% do PIB, “traduzindo uma melhoria comparativamente com o resultado verificado em 2013”, depois de o executivo da maioria PSD/CDS-PP ter indicado uma estimativa de 4,8%, segundo o novo sistema europeu de contas.

“Acabei o meu curso há 30 anos. Andar 15 anos para trás é metade da minha vida ativa. É uma dimensão enorme, o que este Governo fez de retrocesso do país em quatro anos. Não podemos deixar que isto continue. Há aqui uma pescadinha de rabo na boca, um ciclo vicioso que temos de romper”, afirmou o secretário-geral socialista.

Costa defendeu a necessidade de uma maior aposta na educação e qualificação profissional dos jovens portugueses para contrariar a recente tendência de emigração em massa para o estrangeiro. (noticiasaominuto.com)

por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA